Colocado em 2016-05-24 In Santuário Original

Recepção de Maio, em sintonia com o tempo presente

De P. Egon M. Zillekens e Maria Fischer •

O Pe. Theo Breitinger, presidente do Presidium alemão do Movimento de Schoenstatt, convidou representantes da Igreja, da política e da sociedade para participar na recepção de Maio e discutir sobre um assunto de grande actualidade: Integração. O Pe. Egon M Zillekens presidiu à recepção no último dia de abril no Marienau, a casa para os padres e leigos convidados.

A recepção foi animada musicalmente por Wilfried Roehrig, Carolin Ankebauer e Amin Jan Sayed. Com a sua música Wissam Mawuas da Síria transportou os participantes para a sua terra natal. Com isso, o assunto já foi dirigido para a realidade: Refugiados e a sua integração. A presença de jovens sírios que se sentiram acolhidos em Schoenstatt simplesmente fez-nos sentir bem.

O executivo-chefe distrital, o Dr. Alexander Saftig, situou o assunto de uma forma mais interessante e atual, no âmbito do Ano Santo da Misericórdia, por um lado, e as questões acaloradamente discutidos da política de juros a zero e o capitalismo global contra a economia social de mercado e de família política. Sem a misericórdia de Deus, disse o Dr Saftig, as pessoas muitas vezes não são capazes de se envolver em promover a sua visão sobre o mundo ou as suas convicções.

maiempfang-foto-brehm-01

Os muçulmanos crentes perguntam-nos se nós rezamos, e onde está a Bíblia em nossas casas

O Prof. Hubertus Brantzen, Mainz, presidiu o painel de discussão que se seguiu, sobre o tema da “integração” com o prefeito Christoph Ewers (Burbach), Joud Ahmarani (Síria, que reside em Vallendar), o Dr. Alexander Saftig, o Pe. Franz Widmaier e a Ir. Marie Munz .

O que se segue são perguntas e tópicos desta discussão, os quais não encontraram uma resposta neste quadro, e em que nem todos os aspectos se harmonizam, mas que podem fazer surgir muitas idéias e servir de tema para conversas, talvez até além desta recepção de maio:

  • o que é a integração: Se falamos e olhamos para o nosso sistema, ou uns com os outros, o que acontece?
  • o Nós temos que discutir entre nós quem somos, a fim de definir o que significa integração.
  • os muçulmanos crentes perguntam-nos se rezamos e onde está a Bíblia em nossas casas.
  • Objetivos: olhar juntos além de nós mesmos para uma realidade maior.
  • Evitar sociedades paralelas, definir o que entendemos com a integração, e construir uma nova sociedade. Ser realista, objectivo, ver os desafios e compreendê-los como um chamamento de Deus; começar a encontrar as outras pessoas com o coração e as mãos no caminho para a integração.
  • “A integração não pode ser dirigida a partir de cima e organizada de cima.”

Acompanhados por maravilhosa música, e um buffet perfeito fornecido pela cozinha Marienau, as discussões continuaram intensamente por muito tempo …

maiempfang-foto-brehm-02

Fotos: Heinrich Brehm, PressOffice Schönstatt, Alemanha

Original: Alemão. Tradução: José Carlos A. Cravo, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *