Colocado em 2009-09-18 In Santuário Original

Inflamar novamente a fé, quais testemunhas do seu amor: cerimônia do envio para as primeiras missões em terras germânicas

Envio das primeiras missões na Alemanha - Foto: Fischermkf. “Apenas gostaria de dizer algumas palavras neste momento tão comovente. Primeiro: Amo as missões; segundo: Nossa Senhora ama as missões; terceiro: Não estive presente quando aqui, no Santuário Original, o Pe. Kentenich proferiu o Documento de Fundação. Sem embargo poderei dizer: Na cerimônia de envio dos missionários para as primeiras missões em terras germânicas estive presente. E isto é um magnífico presente!”, palavras do Pe. José Melo, oriundo do Chile. Na noite de 28 de agosto derradeiro, junto aos túmulos daqueles que deram a vida por Schoenstatt, assim como pelo Santuário Original, e à luz de tochas e de velas, 22 adolescentes e jovens, oriundos da Alemanha, entre os quais três Irmãs de Maria, um seminarista e um Padre de Schoenstatt, recebem suas respectivas imagens peregrinas e cruzes missionárias, para logo de imediato partirem para Ginsheim, nas proximidades de Mainz, onde ocorrerão as primeiras missões em terras germânicas.

No Santuário Original - esperando - Foto: FischerEstava tudo muito bem planejado: no Santuário Original havia sido reservado o período entre as 20:00h e 21:00h para a cerimônia de envio dos missionários para as primeiras missões em terras germânicas, para logo de imediato se efetuar a partida. E enquanto chegam os primeiros, surge a notícia: um dos carros que transportava alguns dos jovens missionários, entre os quais uma das dirigentes das missões, encontra-se em pleno congestionamento de trânsito, de sorte que é impossível chegar a Schoenstatt antes das 21:00h. O Santuário Original encerra às 21:00h, o que significa a essa hora já reina a noite.

Que fazer? É impossível dar início sem a presença de todos. Esperar? E depois? Sim, esperar no Santuário Original até que todos tenham chegado e depois dar prosseguimento ante o Santuário Original…

Buscando a Auxiliar internacional - Foto: FischerDois jovens vão buscar a Auxiliar Internacional, benta pelo papa João Paulo II, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, ocorrida em Buenos Aires, Argentina – “Nessa altura eu ainda havia nascido”, assim considera Tobias e que logo a segura com maior firmeza – e a trazem para o Santuário Original. Aí sobre o altar encontram-se todas as imagens peregrinas; aí se encontram outrossim as cruzes missionárias, um presente precioso dos missionários da Espanha. Por ocasião das missões aí ocorridas no verão derradeiro, faiscou uma centelha decisiva… cânticos, momentos de silêncio, orações e aguardar…

Jovens da diocese de Würzburg, Alemanha, que neste fim de semana se encontram em Schoenstatt, assim quanto participantes de um retiro para adultos, pregado pelo Pe. Hofacker e alguns peregrinos associam-se a estes momentos de oração no Santuário Original. E por volta das 21:00h surge um barulho. E eis o aplauso… Chegaram os últimos! E compadecido, o sacristão fecha o Santuário alguns minutos mais tarde. “E agora que estamos finalmente todos juntos, rezemos”, diz um dos jovens, e, com a face radiante que mal pode conter a alegria, entra Marianne no Santuário Original e faz sua oração: “Obrigado, obrigado, querida Mãe, por havermos ainda encontrado o Santuário aberto, e abre-nos também as portas em Ginsheim…”

Envia-nos como missionários, como apóstolos para a Alemanha!

Um sonho se torna realidade - Foto: LealEm seguida, todos pegam suas respectivas imagens peregrinas, cruzes missionárias, violões, tambores e a Auxiliar, e saem do Santuário Original em procissão rumo aos túmulos dos heróis. As jovens de Würzburg seguram as tochas acessas; e no murrinho do passeio encontram-se velas acessas. Tudo isto traz uma vez mais à lembrança de todos os presentes na Noite do Santuário; sem embargo agora com fortíssimo caráter missionário. Estas primeiras missões em terras germânicas surgiram da vida, inflamadas na vida que estes jovens vivenciaram no Chile, em Espanha, no Brasil, na Argentina, no México… “Isto outrossim tem de haver na Alemanha; isto também necessita ser vivenciado na Alemanha; outrossim nós temos de fazer esta experiência de fé na Alemanha!”, assim comenta Marianne. E prossegue: “Sim, queremos ser enviados como missionários para a Alemanha, como apóstolos para a Alemanha. Não vamos por ordem própria, mas por ordem de Cristo Jesus…” E estas primeiras missões trazem como lema: “Inflamar novamente a fé, quais testemunhas de seu amor!”

Envio na tumba dos heróisEstes jovens missionários ultrapassaram alguns obstáculos, desde “Isto não é para a Alemanha”, até a troca de paróquia poucas semanas antes do início destas missões, porque, por fim, não seria aí possível fazer missões de porta em porta. “Isto é o coração das missões, sem o qual não as fazemos!” E abriu-se uma nova porta.

Fazem-se preces simples, provenientes do coração; cada palavra proferida encontra-se impregnada de vida; entoam-se cânticos; dão-se testemunhos e, por fim, o ápice: Ela é a grande Missionária...o Pe. José Melo, que conhece muitos dos missionários de suas experiências de missões, entrega a cada um a cruz missionária: “Inflamar novamente a fé, quais testemunhas de seu amor”. Em seguida, entrega outrossim a cada um a Mãe Peregrina, com as palavras que se repetem vezes sem fim no mundo inteiro, por ocasião da entrega da Imagem: “Ela é a grande Missionária!”

Com voz firme e com certa comoção respondem os missionários: “Ela realizará milagres!” Sim, ela operará prodígios em Ginsheim; ela operará milagres na Alemanha; ela operará prodígios em Schoenstatt!”Que emoção não é para mim entregar aqui, na Alemanha, a cruz missionária a uma Irmã de Maria alemã!”, palavras do Pe. José Melo, ao entregar a cruz missionária à Ir. Anastásia, Assessora Nacional da Juventude Feminina de Schoenstatt, da Alemanha.

Finalmente, com as peregrinas nos braços e a cruz no pescoço, todos se dirigem ao Santuário Original – a esta altura fechado, embora pareça mais aberto que nunca – para renovarem sua Aliança de Amor…

O Pe. Lothar Penners, Diretor Nacional do Movimento Apostólico de Schoenstatt, da Alemanha, dirige algumas palavras aos jovens missionários, dando-lhes em seguida a bênção. Cantam mais um cântico, e, entre votos de bom êxito, promessas de oração, lágrimas e risos, os missionários despedem-se dos demais e entram nos carros que os levarão pela noite afora rumo a Ginsheim, lugar das primeiras missões em terras germânicas… confiando na oração de missionários do mundo inteiro.

Para trás, ficam pessoas que se olham mutuamente e têm a sensação, tal como o Pe. José Melo, de quererem um dia mais tarde narrar outrossim que estiveram presentes outrora em 28 de agosto de 2009, à sombra do Santuário Original…

 

Original: Alemão
Tradução: Abadia da Ressurreição, Ponta Grossa – PR, Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *