Dachau

Colocado em 2022-03-17 In José Kentenich

O 13 de Março de 2022 em Dachau

ALEMANHA, Irmã M. Elinor Grimm •

Domingo 13/3/22 foi uma experiência Tabor para todos os membros do Movimento de Schoenstatt que vieram a Dachau para comemorar a chegada do Padre Kentenich há 80 anos. O tempo – um céu azul brilhante – definiu o ambiente. —

Muito diferente da situação actual na Ucrânia e noutras zonas de guerra, muito diferente de há 80 anos atrás, quando o Padre Kentenich chegou ao Campo de Concentração a 13 de Março de 1942 como o prisioneiro nº 29392.

No seu sermão, o Bispo Auxiliar Dr. Josef Graf de Regensburg abordou precisamente este contraste do Segundo Domingo da Quaresma – o evento Tabor – por um lado, e a realidade do Campo de Concentração, por outro. Só quando se olha mais fundo, disse ele no seu sermão, quando se olha com um olho crente, se pode ver como as Leituras litúrgicas deste Domingo também se encaixam na chegada do Padre Kentenich ao Campo de Concentração.

Dachau

We shall overcome…

A curto prazo, o serviço tinha sido transferido para a igreja do Carmelo devido ao tempo frio e ao bloqueio da passagem. Havia apenas 20 lugares devido a medidas de biossegurança. Feito à medida, encaixava exactamente, ninguém tinha de estar fora da porta. Toda a Família de Schoenstatt estava representada com o Instituto, a União, a Liga e o Movimento não organizado de Schoenstatt/Peregrinos. Após a Santa Missa, uma freira carmelita abriu brevemente a porta para um momento de oração no Bloco 13. No Bloco 26 lembrámo-nos da capela do Campo de Concentração, onde os padres aprisionados podiam celebrar a Santa Missa quase diariamente. Na Capela da Angústia de Cristo, rezámos intensamente pela paz e, a pedido de um participante, cantámos com confiança: “We shell overcome…(Venceremos…)”.

À noite assistimos ao filme digital “Arca e Farol” (um documentário sobre o Padre Kentenich no Campo de Concentração de Dachau). Posteriormente houve um animado intercâmbio – “encontro” no seio da Família de Schoenstatt, a nível internacional. Muitos dos que não tinham lá estado queriam saber como era Dachau de manhã. Anton Pfaffenzeller e a Irmã Elinor relataram.

Na sexta-feira anterior, as pessoas já tinham participado na Via Sacra digital. Em 1942, era sexta-feira quando o Padre Kentenich chegou a Dachau. Pode voltar-se a ouvir Heinrich Dresbach, companheiro de prisão e testemunha contemporânea, enquanto orienta, anos depois, uma Via Sacra com um grupo de schoenstatteanos através do Memorial.

Após uma avaria técnica no sábado, a Via Sacra digital (Zoom) serão repetidas no Domingo 27/3, das 20 às 21 horas e 6/4, das 15 às 16 horas.

O filme “A Arca e o Farol” será novamente exibido em 6/4 20 h (25 minutos) – também via Zoom.

“A gloriosa montanha da transfiguração e a humilhação dos prisioneiros”

Tenho o prazer de retomar o sermão do Bispo Auxiliar Dr. Josef Graf:

“No Evangelho, a experiência da luz no Monte da Transfiguração e para o Padre Kentenich, a chegada aqui ao inferno do Campo de Concentração. O glorioso Monte da Transfiguração por um lado e a humilhação dos prisioneiros aqui em Dachau … Antes da sua viagem para outra montanha, ou seja, antes da sua viagem para o Calvário para a crucificação, os discípulos devem mais uma vez ver uma luz para que não fiquem confundidos com Jesus”.

Mons. Graf citou várias vezes “Uma Vida à beira do Vulcão” de Dorothea Schlickmann, por exemplo, o discurso introdutório do chefe do bloco Hugo Guttman na noite de 13 de Março de 1942, no qual ele se dirigiu deliberadamente ao Padre Kentenich de forma provocadora: “Vós, sacerdotes, falais do Senhor Deus! Nunca o conheci aqui. Ao mesmo tempo, ele olhou para o Pe. Kentenich com um olhar desafiador: “Talvez você? – Resposta de Kentenich: “Se ainda não encontrastes aqui o Senhor Deus, certamente já encontrastes o diabo” (p. 186 e seguintes).

O Bispo Graf continua no sermão: “Sim, um Campo de Concentração tinha de ser visto pelos prisioneiros como um domínio do diabo e não como um lugar onde Deus pudesse ser encontrado. Que contraste entre esta cena quase celestial e o inferno de um Campo de Concentração! À primeira vista, como eu disse, é assim… E depois a poderosa voz da nuvem, símbolo da presença de Deus. Proclama Jesus como o Filho de Deus… Os discípulos precisam tanto deste testemunho. E isso não é reconfortante para nós? Mesmo que tal luz amanheça no Tabor, continuarão a duvidar de Jesus quando ele vier ao Calvário… Conforto para nós, a quem também podem vir as dúvidas sobre Deus. Consolação para nós quando o medo também surge em nós e a nossa vida se torna um caminho da cruz…

Dachau

Igreja Ortodoxa Russa da Ressurreição. Aqui rezamos especialmente pela paz

A Via Sacra dos prisioneiros

“A Via Sacra dos prisioneiros do Campo de Concentração, o Padre Kentenich também não foi poupado, mas há também um outro lado para ele, o lado espiritual, por assim dizer, o lado interior: na sua dura Via Sacra aqui no Campo de Concentração de Dachau, o Padre Kentenich amadureceu cada vez mais na rendição à vontade de Deus e no seguimento de Cristo … Desta forma ele foi capaz de se tornar um ajudante para outros na sua Via Sacra no Campo de Concentração de Dachau. Na esfera corporal e espiritual, especialmente para os sacerdotes que ali estiveram presos com ele”.

“O caminho do sofrimento do Padre José Kentenich em Dachau tornou-se frutuoso. A sua Via Sacra no Campo de Concentração tornou-se um caminho de salvação para muitos. Quase se podia pensar nas palavras de São Paulo: “Completo… na meu corpo o que ainda falta à Paixão de Cristo (Col 1,24)”.

“Podemos acreditar com confiança que o exemplar sacerdote Padre José Kentenich, com a sua alma imortal, já partilha desta vitória pascal. Não só teve de percorrer um caminho da cruz durante os seus mais de três anos no Campo de Concentração de Dachau. Dachau foi provavelmente o momento mais difícil para ele em termos de agonia física. Mas mais tarde houve a cruz do mal-entendido. Suspeitas de falta de ortodoxia católica, muitos anos de exílio em Milwaukee, nos Estados Unidos, onde também trabalhou frutuosamente como pastor.

Que todos os caminhos de cruz que o Padre José Kentenich sofreu e andou corajosamente continuem a ser uma bênção para a sua comunidade e, portanto, para toda a Igreja. E que em breve seja declarado Beato da nossa Igreja”.

Dachau

O monumento judeu foi recentemente renovado; a inscrição por cima da entrada é agora ainda mais inspiradora. Foto: Grimm


Fotos: Kiess, Grimm

Original: alemão (16/3/2022). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.