Colocado em 2020-03-02 In José Kentenich

Estreia do oratório “Himmelwärts” em Würzburg

ALEMANHA, Maria Fischer com material do gabinete de imprensa do arcebispado de Würzburg •

No Domingo, 22 de Março, o oratório “Himmelwärts” será estreado às 17 horas no Centro de Schoenstatt de Marienhöhe, em Wurzburg. “Trata-se de confrontar as ideias espirituais do Padre José Kentenich, fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt”, disse o Dr. Martin Flesch de Veitshöchheim (distrito de Würzburg). O especialista em psiquiatria e psicoterapia compôs a música e criou os textos do oratório com base nos textos originais de Kentenich.—

“Onde está o meu Rumo ao Céu?” – “Vou pôr isto no meu Rumo ao Céu.” Quando os schoenstatteanos falam assim, referem-se àquele livro prático de orações que quase todos eles têm e que muitos deles também usam regularmente para rezar ou meditar com as palavras do Pe. Kentenich. Os textos são desafiadores devido à sua complexidade linguística e ao seu estilo (sob a forma de uma rima em alemão). O título “Himmelwärts” (Rumo ao Céu), por outro lado, está na moda – há uma banda chamada Himmelwärts e o Coro Himmelwärts que acompanha musicalmente os cultos “Himmelwärts”: por trás deles está a “Igreja Criativa”, que teve origem no ambiente eclesiástico protestante da cidade alemã de Hattingen-Witten. Há também os guias de montanha Himmelwärts e o bestseller espiritual holandês “Himmelwärts” de Hans Peter Roel com este título, assim como alguns outros romances, o álbum “Himmelwärts” de Eric Koevoets & Jenny Halsma, e um livro de meditação de Andrea Schwarz que também tem este nome, e… agora também o oratório com esta bela palavra: Himmelwärts.

Não foi a primeira adaptação musical aos textos do campo de concentração de Dachau, porque pouco tempo depois da sua publicação e, mais tarde, sempre de novo, a música foi composta para textos individuais em países de língua alemã, espanhola e inglesa; os lançamentos mais recentes foram o CD “Heavenwards Always” de Kathy Kanewske e uma adaptação moderna gravada por jovens chilenos (“Para o Pai – Rumo ao Céu”, 2018). E agora o oratório “Himmelwärts”, algo pelo qual podemos ansiar com grande expectativa.

 

 Céu sobre Dachau Foto: iStock Getty Images ID 1002959942, Andreas Haas

A ocasião: 50 anos do Instituto José Kentenich

Dr. Martin Flesch. Foto: Adelmann, Presse- und Informationsstelle des Bistums Würzburg

A estreia terá lugar por ocasião do 50º aniversário da fundação do Instituto Josef Kentenich. A instituição dedica-se, especialmente, à pesquisa dos ensinamentos, da Obra e da pessoa de Kentenich. “Além dos amigos e membros do Movimento de Schoenstatt, a obra também é interessante para todas as pessoas que se interessam por música sagrada e assuntos espirituais”, disse Flesch.

“Estudei em profundidade os textos da coleção de orações com o mesmo nome que o Padre Kentenich escreveu durante a sua prisão pelos nazis entre 1941 e 1945, primeiro na prisão de Coblença e depois no campo de concentração de Dachau”, explicou Flesch. Os primeiros 25 textos de oração são às vezes um pouco difíceis de entender. São escritos em verso, em parte para facilitar a sua aprendizagem, em parte para os camuflar dos chefes do campo de concentração de Dachau.

“A minha ideia de base para os textos era actualizar o seu conteúdo e, ao mesmo tempo, tornar fecunda a força que eles têm para o tempo de hoje”, explicou Flesch. Por isso, ele usou “vozes dos tempos” como contrapartida na forma de diálogo que contrastavam com os textos originais, para que o conteúdo dos textos de oração fosse ainda mais claro. Flesch escreveu os primeiros esboços em 2016 e mostrou-os aos teólogos e cientistas do Movimento Apostólico de Schoenstatt. “Sempre recebi comentários encorajadores, por isso continuei com o tema. O trabalho foi concluído em 2019.

“O acompanhamento musical acrescentou-lhe outra dimensão de profundidade a toda a peça”, disse Flesch. Como músico, foi capaz de tirar partido de décadas de experiência. Recebeu a sua formação musical em órgão, regência coral e direcção orquestral do conhecido especialista em música sacra Thomas Gabriel, conhecido em toda a Alemanha, e do maestro Wolfgang Heinzel. Em 1991, paralelamente ao seu trabalho, fundou um projecto de orquestra sinfónica, que ainda hoje dirige. Mais tarde, vários coros e conjuntos foram acrescentados em diferentes estados federais alemães. Nos últimos anos compôs várias obras sinfónicas para oradores e conjuntos.

“Para esta peça, escolhi deliberadamente um conjunto lírico de câmara.” Com oboé, violoncelo, harpa e monocórdio, assim como dois percussionistas, combina-se de maneira ideal uma atmosfera e personagens fortes, tanto para o solista como para o conjunto. “Por exemplo, quando o narrador declama as vozes do tempo, os tambores acompanham-no atmosfericamente com sons que denunciam e sacodem. Os músicos, assim como os dois oradores e o cantor do oratório, vêm de toda a Alemanha. Flesch fez os contactos através do Movimento Apostólico de Schoenstatt.


Além da estreia no Domingo, 22 de Março às 17 horas no Centro de Schoenstatt Marienhöhe, Josef-Kentenich-Weg 1, 97074 Würzburg, Alemanha, mais apresentações estão programadas para o sábado, 28 de Março às 19 horas na Igreja da Adoração no Monte Schoenstatt, 56179 Vallendar, e para o Domingo, 5 de Abril às 17 horas na Igreja Sankt Blasius, Unterm Heilig Kreuz 1, 36037 Fulda. “A entrada é gratuita, esperamos doações generosas para cobrir os custos”, comentou Flesch.

Original: alemão (16/2/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *