Colocado em 19. Setembro 2019 In José Kentenich

“O meu Dachau converte-se num Santuário”

EXPERIÊNCIAS EM DACHAU: schoenstatt.org, em conversa com os visitantes e com a Ir. M. Elinor Grimm, guia autorizada do Memorial do Campo de Concentração •

Em Outubro de 2019 completam-se 75 anos da fundação de Schoenstatt Internacional pelo Padre Kentenich no Campo de Concentração. Um facto, aparentemente, insignificante, num lugar que representa um grau de crueldade humana que está para além da imaginação: Dachau, o Campo de Concentração perto de Munique. —

E talvez mais além

Após a eclosão da Segunda Guerra Mundial, as pessoas das zonas ocupadas da Europa foram presas no Campo de Concentração de Dachau. Este tornou-se no núcleo de novos Campos de Concentração, um local onde o regime nazi deteve, oprimiu e assassinou opositores políticos. Do total de, pelo menos 200.000 prisioneiros de Dachau, cerca de 41.500 morreram. Além disso, as SS deportaram, frequentemente, prisioneiros para Campos de extermínio.

O Padre Kentenich foi preso em 1941 e levado para o Campo de Concentração de Dachau durante quatro anos. Ali, começou a difundir Schoenstatt entre os presos; entre eles italianos, polacos, checos e outras nacionalidades. Em 1944, juntamente com eles, fundou a “Schoenstatt Internacional”. A leitura desta fundação requer atenção às circunstâncias, aos sinais do tempo em que teve origem. O Padre Kentenich conheceu sacerdotes de diferentes países europeus entre os prisioneiros. Por acaso, Deus indicou neste acontecimento uma forma de dar à Obra uma dimensão internacional e um maior dinamismo?

Em 18 de Outubro de 1944, o Padre Kentenich deu um passo decisivo, sob uma chuva torrencial no meio do Campo de Concentração: “…até agora era uma obra limitada. Agora atravessa fronteiras e torna-se internacional, o último passo no desenvolvimento, como indica o primeiro documento fundador: para a nossa casa, para toda a província alemã e talvez mais além…”

Visitas guiadas focadas em Schoenstatt em Dachau

“Este ano, vários grupos de Schoenstatt de países muito diferentes visitaram o Memorial do Campo de Concentração ou estão a planear uma visita”, diz a Irmã M. Elinor Grimm. A Irmã de Maria de Schoenstatt, assim como Ilse Kessler, do Instituto Nossa Senhora de Schoenstatt, estão oficializadas  para servirem como guias e estão autorizadas e prontas para realizar visitas guiadas focadas em Schoenstatt e para acompanhar os grupos de Schoenstatt lá. Grupos que não falam alemão, no entanto, devem ter alguém que possa traduzir.

Uma brochura em vários idiomas (alemão, inglês, espanhol, português) está disponível para todos os grupos, e se alguém estiver interessado em que lhe estampem o “selo do Santuário”, há um “selo do Santuário de Dachau” na tenda do mosteiro, ao lado da Capela do Carmelo.

Dachau impressiona

“Nos dias próximos à conferência de Hörde, schoenstatteanos de diversos países chegaram a Dachau no dia 14 de agosto, como por exemplo, a União das Mães do Texas e outro grupo misto do Brasil. É por isso que a Sra. Ilse Kessler do Instituto Nossa Senhora de Schoenstatt e eu estivemos a fazer a visita guiada ao mesmo tempo”, diz a Sra. Ilse Kessler do Instituto Nossa Senhora de Schoenstatt.

“Há poucos dias, chegaram as Mães de Schoenstatt da Croácia. Também da França, um grupo de peregrinos visitou pela primeira vez e permaneceu no Pousada da Juventude Max Mannheimer Haus na primavera. Pude acompanhar os visitantes da União das Famílias da República Checa e da Suíça. E não esquecer: com um grande calor chegaram a Dachau as participantes do chamado “Tempo de Schoenstatt”, jovens mulheres da América do Sul no programa vocacional das Irmãs de Maria. No mesmo dia, à tarde, foi a Escola internacional para dirigentes da Juventude Masculina de Schoenstatt. O calor tem sido muito duro para nós, mas também nos deu uma ideia do que isso significou para os prisioneiros naquela época”.

“O nosso curso, o terceiro curso da União das Famílias Suíças, ficou muito impressionado com a visita ao Memorial do Campo de Concentração de Dachau em 6 de Agosto de 2019. Alguns tinham estado lá há muitos anos, mas desta vez foi mais intenso! “disse Gabi Kiser. “Uma coisa nos impressionou muito: em todo o sofrimento, assédio e humilhação, o Pe. Kentenich permaneceu ‘humano’ e preservou a sua dignidade, mesmo agarrando-se ao ‘você’, ainda que fosse tratado por ‘tu”.

Mais tarde um homem disse: “Ainda estou muito comovido com a visita ao Memorial e estou muito grato porque me foi permitido vivenciar isto. Duas coisas permanecerão na minha memória: a constatação de que o Padre Kentenich, como instrumento da Mãe de Deus, era inquebrantável mesmo nas circunstâncias mais desagradáveis do Campo de Concentração de Dachau. Em segundo lugar, compreendo agora um pouco melhor porque é que a liberdade é tão importante para ele e porque foi capaz de dominar a cruel vida quotidiana no Campo de Concentração com liberdade interior.

Um casal confessa: “Ficámos muito emocionados com a visita ao local do Campo de Concentração de Dachau. Embora já tivéssemos aprendido muito sobre o lugar e as circunstâncias da época, a visita pessoal foi muito valiosa para nós. Entrar em contacto com a vida do Padre Kentenich foi um grande presente para nós. Por outro lado, tranquilizou-nos como as pessoas conseguem ser tão cruéis para com os outros e ainda mais: quão depressa estamos dispostos a fechar os olhos à miséria dos outros quando é desconfortável para nós, ainda hoje!”

Nunca mais

“Frequentemente encorajo os visitantes do Memorial, a maioria deles estudantes, a considerarem o que podemos fazer, se é que podemos fazer alguma coisa, para que isto ‘nunca mais’ seja uma realidade”, diz a Irmã M. Elinor. E aqui estamos novamente no início deste artigo.

O que podemos fazer aqui hoje para que as pessoas nunca mais ataquem os direitos, a honra, a dignidade, a pátria, a liberdade dos outros? Para que não mais massas ululantes ou déspotas ruidosos descrevam e tratem os outros como inferiores?

E se já acontece algures?

Dachau não é apenas um lugar e não é apenas história. Talvez devêssemos ir lá outra vez.

E então, cada um, pode dizer: “O meu Dachau converte-se num Santuário”.

 

Guias autorizadas do Movimento de Schoenstatt

Sra. Ilse Kessler 089699 1337, Telemóvel:  0160/2449670  Mail: [email protected]

Ir. M. Elinor Grimm 08404922181, Telemóvel: 0152/59781272 Mail: [email protected]

Guia temático em português – para fazer download, pdf

Original: alemão (13/9/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *