Colocado em 27. Julho 2018 In Campanha, José Kentenich

Parece que o Padre Kentenich quer sair ao encontro das pessoas

ARGENTINA, Cristina White •

De 11 a 20 de Julho peregrinou a réplica da mão do Padre Kentenich pelas cidades de Bragado, Nueve de Julio, Pehuajó, Trenque Lauquen e Henderson.

Ao estilo catacumbas…realmente?

Num primeiro momento, foi preparada esta visita, para que fosse uma coisa tranquila, de devoção entre as pessoas mais vinculadas a Schoenstatt…A convocação foi feita nas Paróquias para se organizar uma pequena celebração, antes ou depois da Missa, durante a qual se meditaria um breve texto sobre a origem desta réplica e o que a sua visita representava, de acordo com a nossa realidade diocesana; a seguir, enquanto as pessoas se aproximariam, em fila, para colocar a sua mão na réplica, rezar-se-ia uma oração pedindo pela beatificação do Fundador; após isso, quem desejasse escreveria no caderno que acompanha a visita.

O Padre Kentenich é para todos

Neste marco, como sempre acontece, a Divina Providência assombrou-nos…

Nas localidades onde os sacerdotes estavam presentes, foram eles os primeiros a apoiar a mão; inclusivamente, um deles, durante a Homilia, falou com muita simplicidade sobre a história do Padre Kentenich. Impressionava-os esta mão chegada da Alemanha às suas localidades. Impressionava-os um sacerdote, um pai, um pastor bom que os vinha visitar.

A sabedoria das crianças

Os fiéis, em cada comunidade faziam fila, não só os schoenstatteanos mas, todos, em geral: homens, mulheres, crianças, famílias, religiosas. As pessoas, o povo, mostraram uma infância espiritual face ao Pai, uma sabedoria de crianças que percebem, a partir de uma fé sã a necessidade de se aproximarem daqueles sinais que representam o mundo da Graça que vem ao nosso encontro para nos ajudar nas nossas necessidades. Quantas linhas do caderno foram preenchidas com testemunhos, pedidos, agradecimentos.

Nalgumas cidades também foi, como mencionado por uma missionária, “uma mão peregrina”, já que, também foi levada a visitar pessoas impedidas de irem à Paróquia.

As impressões dos responsáveis de cada lugar coincidiram em realçar o acolhimento e devoção que despertou superando, em muito, as expectativas.

Catedral de Nueve de Julio

Aproximar as pessoas da Aliança de Amor – pela mão do Padre Kentenich

No seu Ano, como Diocese, oferecemos o presente de trabalhar em prol de aproximar as pessoas, como o Pai-Fundador ansiava, da Aliança de Amor de um modo simples e universal, como ponto de partida e, não, como ponto de chegada, para todos – para além de serem ou não de Schoenstatt. Com a fé inquebrantável na fecundidade universal da consagração, trabalhar como instrumentos nas mãos de Maria para que Ela possa manifestar-Se como a grande Mãe e Educadora dos povos. Ao vermos, durante estas celebrações, as demonstrações de fé popular, foi-nos confirmado o apoio, gratidão e acompanhamento do Padre Kentenich à nossa iniciativa. Abre-nos o seu coração de pai e convida-nos a continuarmos a trabalhar neste Schoenstatt em saída, pela sua mão e pela mão dos nossos: Bispo e Párocos, para o maior bem da nossa Igreja diocesana.

Original: espanhol (26/7/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *