Colocado em 2019-12-10 In Francisco - Mensagem

Cada criança marginalizada é um grito que se eleva a Deus

O VÍDEO DO PAPA, Maria Fischer •

No mês de Dezembro, O Vídeo do Papa fala sobre tantas crianças que, hoje, têm um futuro incerto, sobretudo os que sofrem pelas mais diversas causas. Francisco insiste em que cada criança marginalizada, cada criança abusada, cada criança abandonada, cada criança sem escola, sem atendimento médico, é um grito que se eleva a Deus”. —

 

É um grito que não só se eleva a Deus, mas aos corações de muitas pessoas, também em Schoenstatt.

Pensemos, com gratidão, em Maria Ayuda no Chile, Espanha e outros países, onde schoenstatteanos e outros mais dão força, tempo e dinheiro para salvar crianças abandonadas, abusadas e maltratadas.

Pensemos em Dequeni no Paraguai, onde há mais de 30 anos se trabalha na educação das crianças mais necessitadas do país.

Pensemos em La Nazarena e nas Casas del Niño, em Florencio Varela e Villa Ballester, Argentina, onde centenas de crianças recebem alimentação diária, educação, cuidados de saúde e, também, são atendidas as necessidades dos seus familiares.

Pensemos na Casa Catarina Kentenich em Jaraguá, pensemos na Sunrise Village na Índia, pensemos também em projectos como a Escola Josef Kentenich na Alemanha, onde as crianças que tiveram problemas em se habituar ao ritmo das escolas públicas encontram um lugar onde se podem desenvolver.

Mas, tudo isto não é para se descansar em paz. Cada um destes projectos precisa de oração, ajuda, donativos. E muitas mais crianças precisam de algo como Maria Ayuda, Dequeni, Casa del Niño ou Sunrise Village…

 

É necessário fazer alguma coisa

O pedido do Papa chama a atenção para os dramas da infância, que exigem medidas sérias.

Segundo os Relatórios sobre a situação mundial da infância de 2016 e de 2017, os meninos e meninas formam quase a metade dos 900 milhões de pessoas que sobrevivem com menos de dois dólares por dia.

Além disso, em 2014, comprovou-se que cerca de 160 milhões de todos eles apresentavam atraso no crescimento. Quanto à escolarização, apesar dos avanços nas matrículas, existem cerca de 124 milhões de meninos e meninas que não vão à escola, um factor que se vê agravado pelos conflitos armados que, em muitos lugares, são cada vez mais prolongados.

Lamentavelmente, cerca de 250 milhões de jovens vivem em países ou áreas afetadas pelos conflitos armados. Essas condições sociais, económicas e bélicas dificultam o seu desenvolvimento normal e a procura de um futuro melhor.

 

É Cristo quem nos olha em cada uma dessas crianças

O Santo Padre no vídeo acrescenta que, “em cada uma delas é Cristo, que veio ao nosso mundo como uma criança indefesa, é Cristo quem nos olha em cada uma dessas crianças”. Ajudá-las, evitar-lhes sofrimento e oferecer-lhes oportunidades é uma forma de não se obscurecer o seu futuro, porque “é Cristo quem nos olha em cada uma dessas crianças”

Rezemos pois e ajamos “para que todos os países decidam tomar as medidas necessárias para fazer com que o futuro das crianças seja uma prioridade, especialmente o futuro das crianças que hoje estão a sofrer”. Pois tal como Francisco lembrou noutra ocasião, “são o presente”.

 Cada criança marginalizada, cada criança abusada, cada criança abandonada, cada criança sem escola, sem cuidados médicos, é um grito que se eleva a Deus.” Em cada uma delas é Cristo, que veio ao nosso mundo como uma criança indefesa, é Cristo quem nos olha em cada uma dessas crianças. Rezemos para que todos os países decidam tomar as medidas necessárias para fazer com que o futuro das crianças seja uma prioridade, especialmente o futuro das crianças que hoje estão a sofrer.” 

 

Original: espanhol (8/12/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *