Colocado em 26. Janeiro 2019 In Francisco - Mensagem, JMJ Panama 19

As mensagens do Papa Francisco no primeiro dia da JMJ no Panamá

JMJ PANAMÁ, Mensagens do Papa Francisco 24/1/2019, Maria Fischer •

 “Acabo de ouvir as palavras do Papa aos Bispos na América Central. Umas palavras que devemos voltar a ler e a rezar para descobrirmos a mensagem e encarna-la. Não somente para os religiosos mas também, para os leigos que tenham alguma função pastoral”, comentou Ana Maria Ghiggi da equipa de schoenstatt.org, a seguir à transmissão em directo do encontro do Papa Francisco neste 24 de Janeiro. Partilhamos aqui, para voltarmos a ler, rezar e descobrir as mensagens de Francisco de 24 de Janeiro no Panamá e as encarnarmos.—

 “A sustentabilidade que nasce da capacidade de criar vínculos e alianças”.

A seguir a uma visita de cortesia ao Presidente da República, Juan Carlos Varela Rodríguez e à primeira-dama, Lorena Castillo, no Palácio das Garzas, o Papa Francisco teve um encontro às 10 horas e 40 minutos, no Palácio Bolívar, sede do Ministério das Relações Externas (Ministério dos Negócios Estrangeiros) com Autoridades Nacionais, representantes dos três poderes do Estado (Executivo, Legislativo e Judicial), assim como, com membros do Corpo Diplomático, líderes religiosos, personalidades do mundo social, económico, político, cultural, educativo e outros convidados. A seguir, o Papa dirigiu-se à igreja S. Francisco de Assis para participar no encontro com os Bispos do SEDAC.

O vosso país, pela sua localização privilegiada, constitui um ponto estratégico não só para a região, mas também para o mundo inteiro. Ponte entre os oceanos e terra natural de encontros, o Panamá (o país mais estreito de todo o continente americano) é símbolo da sustentabilidade que nasce da capacidade de criar vínculos e alianças. Esta capacidade configura o coração do povo panamiano.

Texto integral da sua mensagem às Autoridades Nacionais

 “Sentir com a Igreja”

Depois do encontro com as Autoridades, o Corpo Diplomático e representantes da sociedade, o Papa dirigiu-se à igreja S. Francisco de Assis para participar no encontro com os Bispos do SEDAC. À sua chegada, o Papa foi recebido pelo Arcebispo do Panamá, Monsenhor José Domingo Ulloa Mendieta e pelo presidente da Conferência Episcopal da América Central (SEDAC), o Monsenhor José Luis Escobar Alas. Em nome do SEDAC, Mons. Escobar Alas, dirigiu ao Santo Padre um cumprimento de boas-vindas. Acto seguido, o Santo Padre leu uma mensagem aos Bispos. O encontro de sua Santidade com os Bispos da América Central terminou com uma saudação fraterna e a fotografia oficial.

“O discurso do Papa aos Bispos da América Central, entrelaçado com citações de S. Oscar Romero, oferece chaves para se perceber a Mensagem para a Jornada das Comunicações e o Encontro para a proteção de menores”, explica Andrea Tornielli, Director da Redação Editorial do Dicastério para a Comunicação. “Sentir com a Igreja” foi o Lema episcopal de S. Oscar Arnulfo Romero, Arcebispo de El Salvador, martirizado pelos esquadrões da morte enquanto celebrava no Altar. Esta é o fio condutor do articulado discurso que o Papa Francisco pronunciou aos Bispos da América Central na igreja de S. Francisco de Assis, na Cidade do Panamá, durante o seu primeiro dia de compromissos públicos da sua viagem para a JMJ 2019. Mais uma vez, o Papa traçou uma espécie de perfil de identidade do Pastor, oferecendo chaves para se “ler” a situação actual da Igreja”.

Entre tais frutos proféticos da Igreja na América Central, apraz-me destacar a figura de São Óscar Romero, que tive o privilégio de canonizar recentemente no contexto do Sínodo dos Bispos sobre os jovens. A sua vida e magistério são fonte de inspiração para as nossas Igrejas e particularmente para nós, bispos. Também o nome dele se considerava como uma palavra feia: suspeito, excomungado nas bisbilhotices privadas de muitos Bispos.
O lema que escolheu para o brasão episcopal, e campeia na lápide da sua sepultura, expressa claramente o seu princípio inspirador e a realidade da sua vida de pastor: «Sentir com a Igreja». Uma bússola que marcou a sua vida na fidelidade, mesmo nos momentos mais turbulentos.

 Texto integral – mensagem aos Bispos

 “Caminhar ouvindo-nos e a ouvir complementando-nos”

Finalmente, o Papa encontrou-se com os jovens na Cerimónia de Acolhimento e Abertura da JMJ no Campo Santa Maria da Antígua – Cintura Costeira, com uma participação de 350 mil assistentes, segundo informações da Força de Tarefa Conjunta de Interagência S. Miguel Arcanjo (FTC). Mais uma vez, o Papa mudou o protocolo, pois chegou no Papamóvel aberto, em vez de no carro fechado como estava previsto. O evento teve início com a saudação ao Santo Padre por Mons. José Domingo Ulloa Mendieta, Arcebispo do Panamá. Saindo várias vezes do texto preparado, o Papa lembrou o Sínodo dos Jovens e exortou os jovens a viverem e a construírem uma cultura de encontro, também “com aqueles que não são PCN, pessoas como nós” e a terem a coragem de responder ao chamamento de Deus, tal como Maria e, tal como, cantam os jovens tantas vezes nestes dias: Eis aqui a Serva do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra.

 “Queremos redescobrir e despertar, juntamente convosco, a novidade incessante e a juventude da Igreja, abrindo-nos a um novo Pentecostes (cf. Sínodo dedicado aos jovens, Documento final, 27/X/2018, 60). Isto só é possível, se, como há pouco vivemos no Sínodo, soubermos caminhar escutando-nos e escutar completando-nos uns aos outros, se soubermos testemunhar anunciando o Senhor no serviço aos nossos irmãos; naturalmente, um serviço concreto”

Texto integral – Mensagem à Juventude

 

Tamara Suiza/panama2019

Original: espanhol (25/1/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *