Colocado em 28. Fevereiro 2019 In JMJ Panama 19

Experiências, impressões de um lar longe de casa na JMJ 2019

Como eu vivi as JMJ2019, Justin Muller and Zachary Erick Larson •

O Centro Espiritual de Schoenstatt, na Paróquia de São Francisco de la Caleta, na Cidade do Panamá, foi a contribuição conjunta da Juventude de Schoenstatt para a Jornada Mundial da Juventude e foi patrocinado de maneira especial pelos membros de Schoenstatt da Universidade do Texas / o ramo dos homens de Austin, em conjunto com o Pe. Jesus Ferrás. Dois deles, Justin Muller e Zachary Erick Larson partilharam as suas experiências e impressões:

 

 

Justin Muller partilhou:

O que o Centro Espiritual de Schoenstatt significa para os jovens de Schoenstatt e para mim? Eu digo e só posso falar por mim mesmo, que ter um lugar, um centro na JMJ me deu a oportunidade de realmente plantar uma raiz em comunidade aqui no Panamá.

Eu tive uma experiência em Cracóvia como um peregrino normal, mas eu não tive a oportunidade de trabalhar e servir na área, então esta foi a oportunidade de ter uma experiência real com a comunidade, com os voluntários, nós providenciavamos a adoração tanto aos voluntários como para os peregrinos, e depois eu tinha muito tempo livre para passear pela paróquia, estar com os meus amigos que estavam trabalhando, e isso deu-nos a oportunidade de acalmar um pouco as coisas, porque a JMJ tende a ser um pouco agitada, e honestamente, a experiência aqui era muito mais pessoal. Isso foi o que significou para mim e para nós como um grupo, eu só posso imaginar que foi essa experiência de providenciar, e não apenas de estar a receber.

 

Só de ver o testemunho das pessoas depois da Adoração inspirou-me realmente

Zachary Erick Larson partilhou:

Cheguei a esta experiência da JMJ praticamente pronto para trabalhar. O padre Jesus convidou…

Então, o que começou a motivar-me de verdade no dia a dia foi imaginar a forma como transmitimos a espiritualidade de Schoenstatt como algo que pode trazer muita esperança às pessoas – a maneira como cuidamos de cada um dos detalhes litúrgicos, a maneira de decorar a capela para ser mais parecida com o santuário, para ser mais como um lar, para ser um lugar muito acolhedor de encontro com Jesus … Essas coisas começaram a motivar-me para fazer um esforço extra … e para mim … principalmente toquei violão e cantei durante alguns momentos da Adoração, e também participei dos aspectos litúrgicos … Mas o que realmente me motivou foi oferecer aquelas músicas que permitiriam que as pessoas entrassem … para abrirem os seus corações, e para despertar os seus corações e disporem-se para entrar em oração e meditação mais profunda, especialmente a possibilidade de cantar canções em espanhol para os paroquianos que chegariam…

No primeiro dia eram principalmente paroquianos e voluntários, então foi ótimo já saber algumas músicas na sua língua que eles poderiam realmente apreciar e aprofundar. Mas mais do que isso, eu acho que uma das melhores coisas que nós oferecemos no meio de todo o barulho e toda a emoção da JMJ foram os espaços entre as músicas, onde cada um de nós leu uma meditação que nós preparámos, e convidámos cada uma dos pessoas a permanecer em silêncio por vários minutos. Acho que foi uma das melhores coisas que pudemos oferecer – primeiro aos paroquianos e voluntários naquele primeiro dia -, mas à medida que os eventos ganharam cada vez mais atenção, mais peregrinos de todo o mundo se juntaram a nós…. Nós vimos pessoas da Austrália, do Brasil, do México, Panamá, claro, que não eram da paróquia, outros panamianos que vieram e só queriam estar tempo com o Senhor e saíram revigorados e mais ligados a nosso Senhor, consequência do tempo em silêncio … E eu acho que essa foi uma das coisas mais especiais que nós queríamos oferecer, era aquele espaço especial para as pessoas estarem no silêncio, em paz com Deus.

 

 

E sempre que as coisas ficavam muito difíceis e a minha voz ficava muito cansada ou a minha mão se cansava de tocar violão, eu estava continuamente motivado pelo apoio do nosso outro vocalista e guitarrista, Rueben, que sempre foi capaz de me aliviar quando eu precisava, mas também o apoio dos outros amigos, e do nosso ramo de Universitários de Schoenstatt … E eu acho que só de ver os testemunhos das pessoas depois da Adoração inspirou-me realmente. Havia uma senhora que era paroquiana em São Francisco de la Caleta, que realmente me inspirou com a sua profunda alegria que sentiu ao ver a juventude a celebrar o Senhor na Eucaristia. Ela, em particular, ficou muito comovida e encontrou uma nova juventude em si mesma e no seu próprio coração e no seu relacionamento com a Igreja por causa do que ela pôde encontrar com o Senhor … e para mim isso foi … eu sempre recordo o jeito que o rosto dela transparecia da primeira Adoração – apenas completamente iluminada de alegria – e para mim, você sabe, sempre que as coisas ficavam difíceis, eu pensava nela, e pensava em como, você sabe, ela é capaz de levar essa alegria para os seus filhos, para o seu marido e para a sua família, porque realmente ela teve um profundo encontro com Cristo. E são essas coisas que continuamente me motivaram durante a semana e me deram muita alegria.

Transcrito de audio: Melissa Peña-Janknegt, Elgin, TX EUA

Original: Inglês, 24. FEVEREIRO 2019. Tradução: José Carlos A. Cravo, Lisboa, Portugal

 

 

Todos os artigos da JMJ 2019

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *