Colocado em 14. Fevereiro 2020 In Francisco - iniciativos e gestos

O clamor dos migrantes

REZEMOS COM O PAPA FRANCISCO,  Fevereiro de 2020 •

No “Vídeo do Papa” de Fevereiro, o Santo Padre faz um apelo mundial para se ouvir o clamor dos migrantes, muitos deles vítimas de tráfico criminoso. Num apelo universal, o Papa convida-nos a rezar “para que o clamor dos nossos irmãos e irmãs migrantes vítimas do tráfico criminoso e do tráfico de pessoas seja ouvido e levado em conta”. —

 

Em Fevereiro, o Vídeo do Papa centra-se na situação de milhões de homens e mulheres migrantes, que são frequentemente vítimas de tráfico e contrabando. O Santo Padre quer que paremos e escutemos o clamor desesperado de tantos que sofrem com esta realidade comprovada, que deve ser combatida. Esta segunda edição do Vídeo do Papa de 2020 foi produzida em co-autoria com a Secção de Migrantes e Refugiados do Dicastério para o serviço do Desenvolvimento Humano Integral, que trabalha a partir da convicção de que são necessários esforços e atenção especiais para garantir que aqueles que são forçados a migrar não sejam excluídos ou esquecidos. O lançamento também se enquadra dentro do Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas, promovido por Talitha Kum, a Rede Internacional de Vida Consagrada contra o Tráfico de Pessoas, fundada pela União Internacional das Superioras Gerais em Roma (UISG), e que se realizou no sábado, 8 de Fevereiro. De facto, em 2019 o número de migrantes internacionais (pessoas que residem num país diferente do seu país de nascimento) atingiu 271,6 milhões em todo o mundo, em comparação com os 258 milhões em 2017. Desse número, 47,9% são mulheres e 13,9% são crianças (menos de 19 anos). Por outro lado, o Relatório Global sobre Tráfico de Pessoas 2018, apresentado em Janeiro de 2019 em Viena, analisa cerca de 24 mil casos documentados entre 2014 e 2016 em 142 países. Estes números são apenas a ponta do iceberg, já que muitas das vítimas não são detectadas e nem todos os países têm mecanismos adequados para processar este crime.

Entre as causas que estão por trás deste flagelo, o Papa Francisco aponta “a corrupção daqueles que estão dispostos a fazer qualquer coisa para enriquecer”. O Cardeal Michael Czerny S.J., Subsecretário da Secção para Migrantes e Refugiados, recordou as Orientações Pastorais sobre o Tráfico de Seres Humanos, um recurso à disposição da Igreja e de todos aqueles que desejam combater, juntos, o tráfico. As Directrizes terminam com o apelo urgente do Papa Francisco na Evangelii Gaudium: “Sempre me angustiou a situação daqueles que estão sujeitos a várias formas de tráfico de pessoas. Eu gostaria que se ouvisse o grito de Deus perguntando a todos nós: ‘Onde está o teu irmão? (Gn 4:9) Onde está teu irmão escravo? […] Há muita cumplicidade. A pergunta é para todos!

Por seu lado, o Pe. Frédéric Fornos S.J., Director Internacional da Rede Mundial de Oração do Papa (incluindo o Movimento Juvenil Eucarístico – MEJ), referiu-se à viagem do Santo Padre à Tailândia, na qual recordou o Pe. Pedro Arrupe S.J. como profeta, uma vez que foi ele quem fundou e promoveu o Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS): “E fê-lo pedindo primeiro uma coisa: oração, mais oração.” Francisco acrescentou: “Devemos lembrar-nos bem disto: a oração”. Como dizê-lo: naquela periferia física não se esqueça da outra, a espiritual. Só na oração encontraremos a força e a inspiração para nos empenharmos bem e darmos frutos nas “confusões” da injustiça social”.

 

Original: espanhol (9/2/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *