Colocado em 17. Dezembro 2018 In Francisco - iniciativos e gestos

Uma visita surpresa à periferia

FRANCISCO, OBRAS DE LA MISERICÓRDIA, com material de AICA •

O Ano Santo da Misericórdia já passou…mas as obras de misericórdia, o grande tema desse ano, continuam sendo a prova da autenticidade da nossa Aliança com Jesus. Entre elas, visitar os doentes, os presos… O Santo Padre, no quadro das “Sextas-feiras da Misericórdia” quis retomar este compromisso de misericórdia verdadeira, visitando na sexta-feira, 7 de Dezembro, duas comunidades da periferia de Roma: “”CasAmica Onlus” e a comunidade terapêutica “A Ponte e a Árvore”. —

Fonte: Vatican Media

O Papa saiu da Casa Santa Marta, às três e meia, acompanhado por Mons. Rino Fisichella, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização. A primeira visita levou-o à CasAmica Onlus na zona de Trigoria, uma estrutura que recebe pessoas doentes, que precisam de atenção médica permanente, e estão acompanhadas pelos seus familiares. Trata-se de pessoas que atravessam graves dificuldades económicas e que não dispõem de recursos suficientes para fazer face aos valores mínimos de sustento diário.

Os hóspedes da Casa são, na sua maioria, italianos e vêm das regiões do sul, obrigados a transferirem-se para os principais Centros de Saúde de Roma para receberem tratamento, além deles, também estavam presentes algumas famílias do norte de África e da Europa de Leste. Os hospitais que atendem os hóspedes da Associação que, sofrem de doenças muito graves, como tumores ou leucemia, são o Campus Biomédico, o Instituto Nacional de Tumores Rainha Helena (equivalente ao português IPO) e o Hospital Pediátrico Menino Jesus. O serviço que é oferecido nestes Centros põe em relevo o fenómeno das “migrações por razões de saúde”, ao qual se acresce o peso de desconfortos e de pobreza que isso acarreta.

Fonte: Vatican Media

Grande surpresa ao abrir a porta

O Papa tocou à porta e foi recebido pelo pessoal de serviço que, ficou surpreendido com a inesperada visita. À sua chegada, alguns doentes estavam na grande cozinha e algumas crianças na sala de jogos. O Santo Padre deteve-se a brincar e a trocar piadas com eles, a seguir, teve palavras de consolo para com os pais que o receberam afectuosamente, ouvindo com muita atenção os seus sofrimentos.

De seguida, acompanhado pela presidente da Associação CasAmica Onplus, a Drª Lucia Cagnacci Vedani, o Pontífice ouviu a história de Aquiles e Andrei, duas crianças de 13 e 11 anos de idade, que têm uma doença oncológica grave, hóspedes da instituição juntamente com os seus pais, os búlgaros Sandra e Plamen e a história de Arwa que vem de Marrocos, crianças de 3 a 5 anos de idade com doenças hematológicas, e, por fim, Orazio da Montalto di Castro, Giuseppe da Cosenza e Giosina da Acireale, que, também têm graves doenças oncológicas e estão acompanhados pelos seus respectivos cônjuges.

Antes de os cumprimentar, o santo Padre entregou um pergaminho, em recordação do encontro e alguns presentes para as famílias.

Fonte: Vatican Media

A Ponte e a Árvore

Posteriormente, o Papa dirigiu-se à comunidade de reabilitação terapêutica “Il Ponte e l’Albero” (A Ponte e a Árvore) situada numa das pontes do bairro Laurentino 38, uma zona muito difícil da periferia sul de Roma. Os hóspedes da estrutura são doze jovens com problemas mentais que, estavam inseridos em contextos familiares que não ajudam à sua situação. O Papa, a pé, subiu dois lances de escada da ponte, chegou onde estavam os jovens, surpreendendo-os em meio das suas actividades. Com esta visita, o Papa Francisco realizou o desejo destes jovens que, há meses lhe tinham escrito uma carta em que lhe falavam das suas dificuldades quotidianas causadas pelos seus problemas mentais, assim como, da sua vontade e dos seus esforços para prosseguirem no caminho do tratamento, juntamente com os médicos e agentes de saúde, à espera de uma visita do Pontífice.

O Papa sentou-se com eles, ouviu-os e animou-os, respondendo às suas perguntas. No entretanto, chegaram também à comunidade, alguns padres que abraçaram o Papa com grande emoção, agradecendo-lhe este gesto de proximidade.

O Dr. Paolo Stievano, director psicológico da instituição, explicou ao Pontífice a grande angústia destes jovens e como a estrutura sanitária do Departamento de Saúde Mental da “ASLRoma2” consegue dar ajuda a estas famílias.

Antes de se ir embora, Francisco ofereceu-lhes um grande Panetone de 10kg como presente para as próximas festas natalícias.

Original: espanhol (9/12/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *