Colocado em 2017-03-23 In Em Aliança solidária com Francisco

Quatro anos de “Agora, começamos este caminho: Bispo e povo…”

PAPA FRANCISCO •

Na segunda-feira, 13 de Março, completaram-se quatro anos desde que o Cardeal Jorge Mario Bergoglio, à altura, Arcebispo de Buenos Aires, foi eleito o 266º sucessor de S. Pedro. Adoptando o nome de Francisco, converteu-se no primeiro Papa Latino-americano e Jesuíta da História. No Domingo 19 de Março, completou-se o quarto aniversário do início do Pontificado do Papa Francisco.

“Jorge Bergoglio marcou o seu estilo logo, a partir, do primeiro minuto daquele 13 de Março de 2013, ao apresentar-se como Bispo de Roma, da varanda do Vaticano com uma singela “Boa noite” e interagindo com os fiéis reunidos na Praça de S. Pedro, com os quais rezou e pediu que rezassem por ele”, comentam em AICA.

“E, agora, começamos este caminho: Bispo e povo. Este caminho da Igreja de Roma que é, aquela que, preside na caridade a todas as Igrejas. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre por nós: uns pelos outros. Rezemos pelo mundo inteiro para que, haja uma grande fraternidade. Desejo que este caminho de Igreja que, hoje, começamos e no qual serei ajudado pelo meu Cardeal Vigário, aqui presente, seja frutuoso para a evangelização desta cidade tão linda. Agora, gostaria de dar a Bênção, mas antes, peço-vos um favor: antes do Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis para que o Senhor me abençoe: a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo. Façamos, em silêncio, esta vossa oração por mim…

Agora, dar-vos-ei a Bênção a vós e ao mundo inteiro, a todos os homens e mulheres de boa vontade”, expressou Francisco nas suas primeiras palavras como sucessor de Pedro.

Desde o início do Pontificado, Francisco encontrou nas redes sociais um espaço ideal para se comunicar. A sua conta de [email protected] publica-se em nove línguas e tem mais de 31 milhões de seguidores. A iniciativa “O vídeo do Papa”, no qual desde Janeiro de 2016, o Pontífice converte em clips, de pouco mais de um minuto de duração, as intenções mensais de oração, é outro gesto que o converte num Papa que utiliza o mundo digital para fazer chegar a sua mensagem.

Recordações de um dia inesquecível

Espontaneamente, no dia 13 de Março, alguns membros do Dreamteam de schoenstatt.org – que desde 31 de Maio de 2013 vivem em Aliança Solidária com Francisco – começaram a trocar as suas recordações desse dia de há quatro anos atrás:

Foi um dia memorável jamais o esquecerei. Eu tinha o meu encontro dos dias 13 com a Santa Missa e fomos adiando a nossa saída porque queríamos conhecer o novo Papa, todos na sala, até os que dizem que não gostam da Igreja. Quando o vimos aparecer, caí de joelhos e fomos nós quem demos a conhecer na nossa Paróquia, durante a Missa, quem era o novo Papa. Helder disse-o na Comunhão quando se aproximou do sacerdote, que o anunciou a todos

Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Que dia memorável! Não percebi bem quando disseram o nome. Não podia acreditar! Começámos a chorar!

Silvia Losada, Tucumán, Argentina

Estava em casa a trabalhar e quando chegou o momento do anúncio…disseram “Giorgium Marium … (Jorge Mario)” e já não pude ouvir mais, nem o apelido nem o nome escolhido! Comecei a chorar e a rir ao mesmo tempo! Vários minutos depois, ouvi que tinha escolhido o nome Francisco. O nosso querido Arcebispo de Buenos Aires era o Pastor do mundo.

E, lembrei-me de uma coisa que, sempre, ficou ecoando em mim: quando no dia 10 de Abril de 1987, João Paulo II aqui em Buenos Aires, no encontro com os leigos e os agentes da Pastoral, pegando no texto de Isaías, disse estas palavras proféticas:

“Igreja da Argentina, levanta-te e resplandece que está a chegar a tua luz! A glória do Senhor amanhece so­bre ti! (3Is 60 Glória da Nova Jerusalém)

26 anos mais tarde tornaram-se realidade!

Claudia Echenique, Buenos Aires, Argentina

No momento em que iam anunciar o nome do novo Papa, recordo que estava na minha empresa, em frente da minha Paróquia de Cristo Rei, com a televisão ligada…

Mal tinham dito o nome de Jorge Mario Bergoglio, a primeira coisa que me ocorreu foi, entre a euforia e as lágrimas, atravessar a rua para ir à Paróquia e começar a repicar os sinos!

Em poucos minutos o bairro inteiro estava na praça em frente à Paróquia cantando e dando vivas a Francisco! Recordações imorredoiras!

Osvaldo Martín, Buenos Aires, Argentina

Nesse dia eu estava no meu gabinete vendo a transmissão em directo. Quando ouvi o nome, saí aos gritos dizendo que o Papa era o Cardeal Bergoglio e, não posso explicar por palavras a reacção de todos daqui: ateus e os da orientação política da altura…

Cecilia Mata, Buenos Aires, Argentina

Hoje, como reformada da Pontifícia Universidade Católica Santa Maria de Buenos Aires (UCA), onde trabalhei durante dezassete anos, tive o privilégio de, em múltiplas ocasiões, estar pessoalmente com o nosso Grande Chanceler, nessa altura, Jorge Mario Bergoglio, que nos visitava assiduamente, celebrava Missa, dialogava connosco, proferiu, para nós, muitas das suas conferências cheias de esperança e animava-nos a sermos fogo que acendesse outro fogo.

Através do Terceiro Sector UCA, fui destacada para a realização de um trabalho em/e com as Villas (bairros de lata) de emergência, razão pela qual, fui muitas vezes ao seu gabinete do Arcebispado na Av. Rivadavia. Tinha sempre um trato afável com a sua atitude cheia de empatia, pensando em oferecer-se e que nos oferecêssemos ao mais vulnerável.

Com tudo isto que vos conto, poderão imaginar o que significou para mim quando ouvi Giorgium Marium… “indescritível”! Até hoje persiste em mim essa emoção.

Susana Llorente, Pilar, Argentina

 

Junto-me aos testemunhos e digo-vos que, quando estavam para anunciar o nome do novo Papa, estávamos na esplanada do Santuário de Villa Ballester com as raparigas do Curso da União das Mães e a Irmã Gertrudis chama-nos pela janela e fomos a correr para a casa. Nesse momento anunciaram o novo Papa. No primeiro minuto não tínhamos percebido e, quando reagimos abraçámo-nos umas às outras, chorávamos e riamos ao mesmo tempo, nem de longe esperávamos semelhante presente! O sino do Santuário começou a repicar como nunca, anunciando a esperada fumata branca com o “Habemos Papam” e, além disso, desta vez era argentino!

Rosita Ciola, Morón, Argentina

Original: espanhol. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.