Colocado em 3. Fevereiro 2016 In Em Aliança solidária com Francisco

Este livro também deveria estar em alemão!

Por Pe. Egon M. Zillekens •

Há algum tempo conheci o Pe. Alexandre Awi Mello (44), o Director do Movimento de Schoenstatt e Assessor da Juventude de Schoenstatt no Brasil. Eu tinha ouvido falar da sua boa relação com o Papa Francisco e tinha muita curiosidade no seu livro sobre o Papa e Maria. O autor ofereceu-me o livro no qual o Papa Francisco descreve os seus encontros com Nossa Senhora desde a sua infância até à sua eleição como Bispo de Roma.

O Santo Padre fala sobre as suas orações marianas favoritas e sobre os títulos sob os quais, ele A venera de forma especial. Faz finca-pé na importância de Maria na vida da Igreja e dos cristãos, destaca o valor dos Santuários marianos e da religiosidade popular, o papel da mulher na Igreja e muitos outros temas da actualidade. O Pe. Alexandre captou os caminhos que conduzem ao espírito mariano e ao coração do Papa Francisco e convida o leitor a seguir esse mesmo caminho e a voltar a confiar, sempre de novo, no cuidado maternal de Maria.

Este livro existe em português (já se venderam 8.000 exemplares) e, em espanhol, mas ainda, não existe em alemão, porque, até agora, nenhuma editora alemã o quis imprimir sem uma subvenção pelos custos de impressão.

Não pode ser! Ao fim e ao cabo, trata-se de Nossa Senhora e do Papa e da relação que têm um com o outro que, serviria de exemplo a muitos.

Um pedaço do prólogo

O autor tinha prometido ao Papa enviar-lhe o livro antes de se iniciar o processo de edição. A 10 de Abril de 2014 entregou-lho através dum dos seus secretários. A resposta de Francisco não se fez esperar.

Reproduzimos aqui as suas palavras, por três razões: em primeiro lugar, para darmos testemunho, mais uma vez, da humildade e simplicidade do Santo Padre; em segundo lugar, para deixarmos claro que, a responsabilidade pelo livro e pelo seu conteúdo, é do autor, pois o Papa deu-lhe um voto de confiança, autorizando a sua publicação sem o ter lido; e, em terceiro lugar, para partilharmos, também, “a catequese mariana” nele contida. O Papa aproveita, também, essas brevíssimas palavras para dar testemunho duma experiência mariana que o livro lhe faz recordar.

Querido irmão:                                  

Obrigado pela tua correspondência de ontem. Obrigado pela tua delicadeza ao enviar-me o livro. Pedes-me que o leia e o corrija. Tudo bem, mas prefiro dar-te autorização para publicá-lo assim, sem o ler, (…) Na semana passada aconteceu-me uma coisa bonita com Nossa Senhora. Estava a rezar a oração Sub Tuum Praesidium e lembrei-me do conselho dos monges russos:” nas turbulências espirituais devemos abrigar-nos sob o manto da Santa Mãe de Deus”… E, de repente, percebi que estava a chover e que eu me estava a molhar. Simplesmente, assim, por mero descuido tinha saído de debaixo do Seu manto. E pensei, seria interessante fazer uma Homilia sobre os motivos que nos afastam da segurança maternal de Maria.

Desejo-te uma feliz e santa Páscoa. Que Jesus te abençoe e a Virgem Santa te cuide. E, por favor, não te esqueças de rezar por mim.

Fraternalmente

Francisco

É desejo do autor que, o leitor destas páginas, seguindo o exemplo do Papa Francisco, tenha um profundo encontro com Maria, e que no fim esteja em condições de elaborar e fazer sua, vitalmente, a meditação sugerida pelo Santo Padre e, deste modo, não se afastar da segurança maternal de Maria.

Alguns meses depois, o autor teve a surpresa de receber um comentário mais, da parte do Bispo de Roma. Após receber a primeira edição do livro, 13 de Junho de 2014, o Santo Padre escreveu as seguintes palavras que, uma vez mais, dão fé do coração mariano do Papa Francisco, sempre agradecido, filial e simples:

Querido irmão:

Muito obrigado pela tua carta e pelo livro. O Senhor retribua a tua delicadeza. Agradeço o testemunho que dás de bom filho de Nossa Senhora; isso percebe-se em todo o livro e faz bem. O livro está escrito com o coração. Fico feliz por o meu testemunho ter servido para louvar a nossa Mãe (…) Por favor, não te esqueças de rezar por mim. Que Jesus te abençoe e a Virgem Santa te cuide.

Fraternalmente

Francisco

Actualmente, o Pe. Alexandre está a fazer o seu doutoramento em Mariologia no Marian Research Institute da Universidade de Dayton, Ohio, Estados Unidos. Foi professor na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e, actualmente, ensina em S. Paulo, no Centro Universitário dos Salesianos (UNISAL) e, na Faculdade S. Bento. Durante a 5ª Assembleia da Conferência Episcopal da América Latina e das Caraíbas (CELAM), em Aparecida (2007) e na Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro (2013) trabalhou como secretário do Papa Francisco.

francisco-palexandre

Um pedido (não só) à União de Sacerdotes

Querido irmão, talvez tenhas refletido “no decorrer dos anos” e, tenhas chegado, também, à convicção de que, juntos, deveríamos apoiar a edição alemã do livro – para a tradução profissional já há alguém que está disposto a fazê-lo por um honorário muito razoável.

Se queres fazê-lo, por favor, deposita a tua contribuição na conta da União de Sacerdotes de Schoenstatt:

IBAN DE49 4006 0265 0003 3849 00

BIC GENODEM1DKM

“Alemanha, Áustria e Suíça precisam do livro”

Até este momento, a iniciativa e a carta do Reitor Pe. Egon Zillekens aos seus irmãos da União de Sacerdotes. “Já chegaram as primeiras contribuições”, diz-nos.

O Pe. Juan Pablo Catoggio, Superior Geral dos Padres de Schoenstatt, também indicou que o livro deveria estar no mercado alemão e, ele próprio, está a procurar maneiras de o financiar. Também deveria existir uma edição em inglês.

A tradução para alemão está bastante avançada. “Estamos à procura de hipoteses de oferecer o livro a renomadas editoras cristãs, ou, inclusivamente, de tratar de publicar o livro por outros meios”, assim foi comentado pelo Pe. Alexandre Awi, cujo grande anseio é que, o livro não seja, em primeiro lugar, algo unicamente para Schoenstatt mas, precisa de Schoenstatt para entrar no mercado.

Já se fizeram pesquisas.

Uma editora disse: Francisco, sim, com muito gosto! Mas Maria?

Outra comentou: Maria? Sim, com muito gosto. Mas Francisco?

Entretanto, apareceu o grande livro com a entrevista ao Papa Francisco “O nome de Deus é Misericórdia”. O livro  “Ela é minha mãe” (“Maria é minha mãe” – Portugal) também surgiu duma entrevista longa e pessoal. Ambos livros se complementam muito.

Quem quiser entender o significado de Maria para o Papa e a sua imagem da Igreja, precisa ler: “Ela é minha mãe”.

E, “Ela é minha mãe” precisa de pessoas que traduzam, divulguem, recomendem, comprem, financiem.

audiencia-jubilar09
Original: alemão. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,