Rita Cajade

Colocado em 2021-03-15 In Igreja - Francisco - movimentos, Schoenstatteanos

Coloco a minha disponibilidade e o meu trabalho, o que sei e o que não sei, o que vou aprender e o que vou oferecer.

ARGENTINA, con material de AICA/Claudia Echenique •

O Arcebispo de La Plata e Grande Chanceler da Universidade Católica de La Plata (Ucalp), Monsenhor Víctor Manuel Fernández, nomeou a Dra. Rita Marcela Gajate e o Dr. Sebastián Piana como os novos, Reitora e Vice-Reitor desta casa de estudos superiores. Rita Gajate, juntamente com o seu marido Marcelo Moviglia, são os Superiores Regionais do Instituto das Famílias de Schoenstatt.

A cerimónia teve lugar na quinta-feira, 11 de Março, na Catedral de La Plata e participaram os Bispos auxiliares de La Plata, Monsenhor Alberto Germán Bochatey OSA e Monsenhor Jorge Esteban González, da União dos Sacerdotes de Schoenstatt. Foi transmitida em directo e houve um pequeno número de convidados, entre eles o Presidente da Câmara Julio Garro. Outras autoridades políticas, decanos e membros da comunidade educativa da Ucalp e da Universidade Nacional de La Plata (UNLP), bem como, representantes de outras instituições universitárias, também participaram familiares e amigos das novas autoridades.

Depois de ouvir o texto bíblico de São Paulo aos Coríntios, capítulo 13 (proclamado pela Dra. Maria Victoria Moviglia, filha de Rita), o Bispo Victor Fernandez sublinhou que “neste mundo que se está a desfazer em pedaços, uma Universidade católica é um lugar onde um encontro precioso deve ter lugar. É por isso que estou grato a todos vós por nos acompanharem hoje”.

Ambos novos directores fizeram o juramento de prática sobre os Evangelhos Sagrados e depois a Dra. Gajate fez o seu discurso de apresentação, no qual foram notados alguns toques do pensamento kentenichiano, com citações de textos pedagógicos do padre Kentenich, Paul Siegel e do padre Ángel Strada.

Mulheres fieis e comprometidas com Schoenstatt e a Igreja

Devido a estes mistérios que a vida nos apresenta diariamente, ao mesmo tempo que esta assunção de Rita era vista em directo em La Plata, a Família de Schoenstatt, numa outra transmissão simultânea, acompanhava a comunidade de La Loma, no Paraná, onde se celebrava a Missa pelo descanso eterno de Beby Asencio de Gomez.

Rita e Beby: duas filhas fiéis de Deus Pai. Duas mulheres comprometidas com a missão de Schoenstatt para a Igreja. O Dilexit Ecclesiam feito vida real.

Rita Cajade

Rita e Beby, Dilexit Ecclesiam feito vida

O encontro com a verdade

No seu discurso, Monsenhor Fernandez, ao referir-se à raiz da identidade profunda de uma Universidade católica, expressou que “é um lugar de encontro constante que tem cinco dimensões”.

Quanto à primeira dimensão, referiu-se ao “encontro com a verdade”. Recordou que a encíclica Populorum Progressio ensina que “nos desígnios de Deus, cada ser humano é chamado a promover o seu próprio progresso, porque a vida de cada ser humano é uma vocação. “Mas isto implica necessariamente o seu desenvolvimento como um ser pensante. Ou seja, implica um encontro pessoal com a verdade”, sublinhou Monsenhor Fernandez, que também assinalou que “a busca da verdade é uma actividade plena”.

“Para manter uma actividade docente com qualidade e alegria sapiencial é necessário manter esse tempo de procura, por vezes árido mas sempre fecundo, onde se reza, se grita, se pensa, se volta a pensar, se lê, se sofre, até que se acende uma luz, até que surja essa verdade que mais tarde numa aula será dita numa frase, ou acabará num breve parágrafo de uma nota”, disse ele.

Juramento de nuevas autoridades UCALP

O encontro com a fé e a cultura

O Arcebispo de La Plata enfatizou a segunda dimensão do “encontro com a fé e a cultura” quando disse: “Uma fé cultivada não retira qualquer profissionalismo ou seriedade científica. Pelo contrário, abre a mente para que se possa perceber aspectos mais profundos da realidade e compreender melhor o que é o ser humano, qual é o sentido da vida, qual é a finalidade das coisas”. “Uma cosmovisão crente não destrói nada autenticamente humano, mas antes o torna fecundo e fortalecedor”, continuou ele.

Recordou também que “todos na Universidade são chamados a oferecer a sua contribuição para este diálogo entre a fé e as ciências, a fim de dar aos estudantes uma verdadeira síntese vital que lhes permita reconhecer a beleza integradora da visão cristã do mundo.

“Em nenhum lugar na Igreja, mas muito menos numa Universidade católica, podemos separar a fé da ciência”. Porque uma universidade católica não é uma ‘casa de ensino’, mas um espaço de interacção fecunda, onde a ciência liberta a fé do fanatismo religioso e a fé abre novas perspectivas para a ciência.

O encontro com a sociedade deste lugar concreto da terra

A terceira das dimensões, explicou ele, está ligada ao “encontro com a sociedade deste lugar concreto da terra”. “Como comunidade universitária, todos vós sois chamados a produzir outro precioso encontro: o encontro do conhecimento, que cultivais, com a sociedade civil e com o povo desta região”, disse ele, trazendo à memória as palavras do Papa Francisco na sua última encíclica Fratelli Tutti, na qual sublinhou que “o amor de cada um pelo seu próprio lugar é fidelidade a Deus, porque Ele nos deu esta terra e este povo como um presente. A partir deste lugar abrimo-nos aos outros”.

Nesta linha, reflectiu: “A Universidade é chamada a fazer uma síntese preciosa que resulta do encontro do conhecimento que cultiva, com a história, as necessidades, as expectativas, a cultura desta região. Mas, ao mesmo tempo, o nosso espírito católico, que significa “universal”, ajuda-nos a olhar para além dos interesses locais, a fim de se reunir a beleza e o grito do mundo inteiro.

O encontro com Deus

Referiu-se também ao “primeiro encontro” em que “como crentes, antes de mais, somos marcados e distinguidos pelo encontro com um amor imenso que nos sustenta: o amor de Deus”. Neste aspecto, o Arcebispo acrescentou, “a relação que o Senhor oferece a cada um de vós não é apenas a do conhecimento, ou apenas uma espécie de avaliação mental. É amor, é afecto, é ternura”. “Quando se encontra esse amor, já não se precisa de provar aos outros que se tem valor ou que se serve para alguma coisa.

Um espaço para o reconhecimento do outro

Finalmente, referiu-se à dimensão do que a Universidade deveria representar como espaço de “reconhecimento do outro” e assegurou que “a Universidade deveria necessariamente ser um lugar de encontro com os outros que, se expressa na escuta, no diálogo aberto, no confronto de ideias, na abertura para desenvolver projectos comuns.

Monsenhor Fernandez desejou que “esta Universidade seja um lugar de encontro com Deus, com os outros, com a verdade, que seja um lugar de encontro da fé com a cultura e com esta cidade que Deus nos deu como um dom”.

Rita Gajate: Aceitei o desafio com verdadeira consciência instrumental

Pela sua parte, a Doutora Rita Gajate disse que “é uma grande honra para mim fazer o juramento e apresentar-me publicamente como Reitora da Universidade Católica de La Plata”, afirmando que “aceitei o desafio com verdadeira consciência instrumental, pondo à disposição a minha disponibilidade e o meu trabalho, o que sei e o que não sei, tudo o que vou aprender e tudo o que vou oferecer no futuro”.

“O presente da nossa Ucalp parece desafiador”, reconheceu, alertando que “ainda é necessário crescer, aumentar a sua oferta académica, a sua presença na comunidade internacional, nacional e especialmente local, aumentando a sua produção científica e os seus braços alargados na extensão. “É ainda necessário – e em maior profundidade – reflectir sobre o seu papel em conjunto com outras Universidades na reconfiguração da cultura por que ansiamos”.

Além disso, a nova Reitora sublinhou que “a Universidade tem um papel fundamental na criação do pensamento e do conhecimento para a cultura das próximas décadas”, embora também tenha considerado que “a nova realidade actual nos apresenta um quadro complexo”, onde “toda a Humanidade teve de enfrentar uma pandemia que, expôs a vulnerabilidade da raça humana, a pressa sem objectivo do tempo presente, a depredação da nossa casa comum e as consequências muito graves da cultura do “cada um por si””.

A Doutora Gajate prosseguiu, dizendo que “a educação, hoje, enfrenta o desafio do tempo. Participa no desafio sistémico que, enfrentamos como comunidade e, no qual estão envolvidos o governo, a cidadania, as instituições públicas e privadas e todos os actores do mundo da educação”.

Por esta razão, a Reitora recordou que o Papa Francisco “nos convidou a aderir a um Pacto Educativo Global. Ele desafia-nos a assumir a coragem de se colocar a pessoa no centro, a coragem de se investir as melhores energias com criatividade e responsabilidade, e a coragem de se formar pessoas que estejam disponíveis para servir a comunidade.

A educação deve ser integral ou não será

Nesta linha, a Doutora Gajate disse que “se existe uma característica que deve identificar a educação nas nossas salas de aula, as presenciais, as virtuais, as híbridas, qualquer situação educativa da Ucalp é ‘colocar a pessoa no centro'”. “Esta atitude fundamental implica reconhecer que a educação é um diálogo de liberdades, profundamente edificante, convidando ao crescimento e envolvendo o desenvolvimento de todas as potencialidades dos nossos estudantes”.

“A educação tem de ser integral ou não o será. Educamos mentes, mas também, vontades e sentimentos. Temos nas nossas mãos a coisa mais preciosa: pessoas que se confiam à nossa tarefa. No século XXI, é imperativo atender a todas as fibras do ser, com enorme respeito e amor incansável. Convido os meus colegas a renovarmo-nos nesta missão incomensurável e a renovar o nosso entusiasmo para assumirmos este desafio permanente de levar esta visão orgânica do processo educativo ao coração dos nossos estudantes.

Em seguida, descreveu as principais ideias da sua administração para ser enriquecida em colaboração: cuidar da formação permanente e da formação de professores e mestres, desenvolver um clima de trabalho dinâmico e empático, favorecer na Ucalp o encontro com o Deus da vida, honrar a dignidade da função docente, desenvolver os recursos tecnológicos que nos permitem manter, multiplicar e enriquecer a oferta académica virtual, expandir as nossas práticas pré-profissionais, aumentar as actividades de investigação e extensão, aumentar a oferta académica de graduação, pós-graduação e formação profissional, encorajar a participação dos estudantes, re-vincular os licenciados, melhorar a comunicação e estar ao serviço de todos os projectos comunitários em que sejam oferecidos trabalhos responsáveis e valores da Ucalp.

Rita Gajate expressou a sua gratidão pela confiança nela depositada para este cargo pelo Arcebispo Fernández. Antes de concluir, mencionou “o apoio incondicional do seu marido Marcelo Moviglia e dos seus filhos Lucia, Maria Victoria e Pedro, que não só estão sempre lá à minha espera, mas que encorajam os projectos mais ambiciosos com as suas contribuições, senso comum e audácia”.


Mais informação Mais informação e os textos dos discursos em www.ucalp.edu.ar

Original: Espanhol (13/3/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *