Colocado em 2020-09-01 In Igreja - Francisco - movimentos, Laudato Si

O “Tempo da Criação” está a chegar

NO ESPÍRITO DA LAUDATO SI’ •

Esta semana, em conjunto, os cristãos de seis continentes iniciarão o tempo anual de oração e acção pela nossa Casa Comum, com três eventos transformadores.

Numa declaração conjunta, os presidentes do CCEE (Conselho das Conferências Episcopais Europeias) e da CEC (Conferência das Igrejas Europeias) convidam os fiéis a participar no Tempo da Criação, encorajando-os a celebrarem a riqueza da fé cristã como expressão para proteger a nossa Casa Comum:

De 1 de Setembro a 4 de Outubro, os cristãos de todo o mundo celebram o Tempo da Criação, bem como o Dia da Criação a 1 de Setembro.  Seguindo a tradição dos anos anteriores, CEC e CCEE, aproveitámos esta oportunidade para encorajar as igrejas na Europa a reconhecerem estes dias como uma celebração da riqueza da nossa fé como uma expressão para proteger a nossa Casa Comum.

Os valores do Tempo da Criação remontam às raízes da fé cristã. A criação é um dom de Deus para a Humanidade e para todos os seres vivos. Portanto, é responsabilidade nossa protegê-los como bons administradores e de confiança, e como fiéis servidores de Deus: “A terra é do Senhor, e tudo o que nela existe, o mundo e os seus habitantes” (Salmo 24,1)

Na encíclica “Laudato Si’“, o Papa Francisco salientou que “o desafio urgente de proteger a nossa Casa Comum inclui a preocupação de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral”. Ao mesmo tempo, fez um forte apelo “para um novo diálogo sobre como estamos a moldar o futuro do nosso planeta”. Precisamos de uma conversa que inclua todos, uma vez que o desafio ambiental que estamos a viver e as suas raízes humanas nos preocupam e afectam a todos nós.

Do mesmo modo, Jurgen Moltmann, um dos teólogos mais importantes do nosso tempo, deixou claro que “hoje o adversário teológico é o niilismo praticado nas nossas relações com a natureza” e pediu “um discernimento do Deus que está presente na Criação através do seu Espírito Santo”, um discernimento que “pode conduzir o homem e a mulher à reconciliação e à paz com a natureza”.

A celebração do Dia da Criação e do Tempo da Criação têm uma dimensão ecuménica significativa. Ao celebrarmos estes dias, olhamos para trás e estamos gratos pela proposta do falecido Patriarca Ecuménico Dimitrios I, em 1989. Desde então, a ideia do Tempo da Criação e do seu espírito ecuménico foi confirmada pelas Assembleias Ecuménicas Europeias organizadas conjuntamente pela CEC e CCEE em Basileia 1989, Graz 1997 e Sibiu 2007.

A pandemia do COVID 19 deste ano revelou quão profundamente o mundo está interligado. Percebemos, mais do que nunca, que não estamos isolados uns dos outros e que as condições relacionadas com a saúde e o bem-estar humanos são frágeis. O impacto da pandemia obriga-nos a levar a sério a necessidade de vigilância e a necessidade de condições de vida sustentáveis em todo o planeta.  Isto é ainda mais importante quando consideramos a devastação ambiental e a ameaça das alterações climáticas.

Convidamos-vos a celebrarem o Tempo da Criação sob o título “Jubileu da Terra“. O conceito de Jubileu tem as suas raízes na Bíblia e salienta que, deve haver um equilíbrio justo e sustentável entre as realidades sociais, económicas e ecológicas. A lição do conceito bíblico de Jubileu aponta para a necessidade de restabelecer o equilíbrio nos nossos próprios sistemas de vida, afirmando a necessidade de igualdade, justiça e sustentabilidade e confirmando a necessidade de uma voz profética em defesa da nossa Casa Comum.

Convidamos todos os Pastores e cristãos europeus, paróquias, comunidades eclesiais e todas as pessoas de boa vontade a prestarem atenção ao Tempo da Criação e a viverem-no num espírito ecuménico, unidos em oração e acção.

Mais informações: seasonofcreation.org/pt

Original: Espanhol (1/9/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *