Colocado em 2020-06-01 In Francisco - iniciativos e gestos, Igreja - Francisco - movimentos

Santuários do mundo inteiro em união com o Papa pelo fim da pandemia

PAPA FRANCISCO, redacção •

“Faz que Deus nos livre com a Sua poderosa mão desta terrível epidemia, e que a vida retome o seu curso normal com serenidade”. O Papa Francisco implorou, em nome de toda a humanidade, a intercessão de Nossa Senhora para acabar com o maldito Coronavírus, para proteger os feridos, para consolar as vítimas, para agradecer o trabalho de profissionais, voluntários e religiosos, e para exortar os líderes mundiais a oferecerem “soluções económicas e solidárias de longo alcance, num forte espírito de solidariedade”. Na réplica da gruta de Lourdes instalada nos Jardins do Vaticano – onde nos reunimos, como Família de Schoenstatt, em 7 de Setembro de 2004, na vigília da bênção do Santuário de Belmonte – e diante de cinquenta fiéis, Francisco assistiu à oração do Terço juntamente com outros cinquenta Santuários de todo o mundo, de Covadonga (Espanha) a Guadalupe (México), passando por Czestokowa, Fátima, Lourdes, Maipú, Luján, Salta, Loreto, La Almudena (Madrid). Em centenas de Santuários-Lar, nós estávamos, com o Papa e com toda a Humanidade, aos pés da Mãe de todos nós. —

Antes da oração, Francisco ofereceu um ramo de flores a Nossa Senhora, depois rezou a primeira parte da oração mariana, escrita por ele próprio, antes de se iniciar a oração do Terço.

Ó Maria,
Vós sempre resplandeceis sobre o nosso caminho
como um sinal de salvação e de esperança.
Confiamo-nos a Vós, Saúde dos Enfermos,
que permanecestes, junto da cruz, associada ao sofrimento de Jesus,
mantendo firme a vossa fé
.

Começa esta oração composta, especialmente, por Francisco para o Mês de Maio.

A oração do Terço começou com a exposição da intenção: “Colocamo-nos sob o manto materno de Nossa Senhora para confiar ao Senhor, por Sua intercessão, toda a Humanidade que está a ser severamente posta à prova durante este período de pandemia”.

Cada um dos Mistérios Gloriosos foi oferecido pelos médicos, enfermeiros e todo o pessoal de saúde; pelos militares, forças de segurança, bombeiros e voluntários; pelos sacerdotes e pessoas consagradas que levaram os sacramentos e a consolação cristã aos doentes; pelos moribundos e pelos falecidos e pelas suas famílias; e elas pessoas que precisam de fé e esperança, especialmente os desempregados, os que estão sós e as crianças recém-nascidas.

Ao longo do Terço, catorze pessoas diferentes conduziram a oração: um pneumologista do Hospital San Felipe Neri de Roma, uma enfermeira, um voluntário da Protecção Civil juntamente com a sua mulher e filha, um sobrevivente do Coronavírus, o capelão do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas Lazzaro Spallanzani, o Superior Geral das Filhas de São Camilo (também sobrevivente do vírus), um farmacêutico, a filha de uma vítima do vírus, um jornalista do Vaticano, um casal que teve um filho durante a pandemia e a sua filha mais velha.

Finalmente, Francisco rezou a segunda parte da oração mariana que compôs para o mês de Maio, antes de dar a bênção final e de concluir com o cântico do Avé de Fátima.

Antes de se despedir, o Papa Francisco dirigiu-se aos Santuários da América Latina em espanhol: “Disseram-me que há muitos Santuários da América Latina e eu gostaria de os saudar em espanhol: A todos vós, Santuários da América Latina, vejo Guadalupe, e tantos outros que estão ligados em oração. Na minha língua materna saúdo-vos e agradeço-vos por estarem perto de todos nós. Que a nossa Mãe de Guadalupe nos acompanhe”.

Oração a Maria

«À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus».

Na dramática situação atual, carregada de sofrimentos e angústias que oprimem o mundo inteiro, recorremos a Vós, Mãe de Deus e nossa Mãe, refugiando-nos sob a vossa proteção.

Ó Virgem Maria, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos nesta pandemia do coronavírus e confortai a quantos se sentem perdidos e choram pelos seus familiares mortos e, por vezes, sepultados duma maneira que fere a alma. Sustentai aqueles que estão angustiados por pessoas enfermas de quem não se podem aproximar, para impedir o contágio. Infundi confiança em quem vive ansioso com o futuro incerto e as consequências sobre a economia e o trabalho.

Mãe de Deus e nossa Mãe, alcançai-nos de Deus, Pai de misericórdia, que esta dura prova termine e volte um horizonte de esperança e paz. Como em Caná, intervinde junto do vosso Divino Filho, pedindo-Lhe que conforte as famílias dos doentes e das vítimas e abra o seu coração à confiança.

Protegei os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os voluntários que, neste período de emergência, estão na vanguarda arriscando a própria vida para salvar outras vidas. Acompanhai a sua fadiga heroica e dai-lhes força, bondade e saúde.

Permanecei junto daqueles que assistem noite e dia os doentes, e dos sacerdotes que procuram ajudar e apoiar a todos, com solicitude pastoral e dedicação evangélica.

Virgem Santa, iluminai as mentes dos homens e mulheres de ciência, a fim de encontrarem as soluções justas para vencer este vírus.

Assisti os Responsáveis das nações, para que atuem com sabedoria, solicitude e generosidade, socorrendo aqueles que não têm o necessário para viver, programando soluções sociais e económicas com clarividência e espírito de solidariedade.

Maria Santíssima tocai as consciências para que as somas enormes usadas para aumentar e aperfeiçoar os armamentos sejam, antes, destinadas a promover estudos adequados para prevenir catástrofes do género no futuro.

Mãe amadíssima, fazei crescer no mundo o sentido de pertença a uma única grande família, na certeza do vínculo que une a todos, para acudirmos, com espírito fraterno e solidário, a tanta pobreza e inúmeras situações de miséria. Encorajai a firmeza na fé, a perseverança no serviço, a constância na oração.

Ó Maria, Consoladora dos aflitos, abraçai todos os vossos filhos atribulados e alcançai-nos a graça que Deus intervenha com a sua mão omnipotente para nos libertar desta terrível epidemia, de modo que a vida possa retomar com serenidade o seu curso normal.

Confiamo-nos a Vós, que resplandeceis sobre o nosso caminho como sinal de salvação e de esperança, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria. Amen.

Original: espanhol (31/5/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *