Colocado em 30. Novembro 2019 In Igreja - Francisco - movimentos, Projetos

E, de repente, ele estava ali

PARAGUAI/VATICANO, Joaquín Santiviago •

Quando em Fevereiro e Março de 2017, fizemos uma audição para formar o Coro Alegria, com Alejandra Almada, actual maestrina, Giani Klein, Guada Alvarez, Piru Abente, Mariano Abente e Prof. Carlos Cazal, não podíamos imaginar que uma avalanche de quase cem pessoas tivesse tanta sede de louvar o Senhor com o dom da sua voz.  Isto catapultou a ambição de fazer um coro, o mais profissionalmente possível, sem sermos profissionais da música, com excepção da Alejandra que, como profissional, é hoje a chefe do coro. Nenhum sonho foi poupado em nenhum momento.  —

Cinco meses depois, para a tomada da Túnica daquele ano, em Tupãrenda, o coro cantava com uma orquestra composta por quase 30 músicos, todos profissionais.  A partir de Agosto, por iniciativa da Fundação José Kentenich do Paraguai, o coro gravou o Terço cantado, o CD intitulado “Alegra-te comigo” (Mt 25, 21).

 

O anseio de que o primeiro lançamento chegasse ao Papa Francisco

Com o desejo de cultivar a oração do Santo Rosário com a ajuda de cânticos e com a ambiciosa missão de oferecer o nosso dom musical, como arte, para que as pessoas possam unir o seu coração ao coração de Deus e ao de Maria, no dia 29 de Dezembro foi lançado o CD, que foi um marco no coro.

Em Março de 2019, pude visitar o coro, já que actualmente vivo em Barcelona por causa dos estudos. Naquela ocasião comentei com todo o Coro Alegria o desejo de poder entregar o CD ao Papa Francisco, em  mãos, como um presente para ele.  Senti que o coro iniciou uma campanha espiritual para o conseguir, sabendo que não é fácil fazer chegar alguma coisa às mãos do Papa. Várias pessoas pensaram nalguns modos de o conseguir e em Junho, numa viagem a Roma, pude entregar o CD a Monsenhor Guido Marini, o mestre de cerimónias do Papa.  Juntamente com este presente havia uma carta explicando o que tínhamos feito como coro.  Monsenhor Guido disse-me que ficaria feliz em o fazer.

A oportunidade de cumprir este desejo chega com o Congresso Internacional de Música Sacra

Não sei se o Papa recebeu o CD nessa ocasião, mas fiquei com a esperança de que alguém próximo dele o pudesse fazer.  Mas nos dias 7, 8 e 9 de Novembro, há poucos dias, realizou-se em Roma o Congresso Internacional de Música Sacra: “IGREJA, MÚSICA, INTERPRETES: UM DIÁLOGO NECESSÁRIO”, no qual participaram duzentas pessoas de muitos países do mundo, entre elas mais cinco paraguaios.  Este Congresso culminou com uma audiência especial de todos os participantes do Congresso com o Santo Padre. Foi na Sala Clementina onde Bento XVI anunciou a sua renúncia histórica.  Enquanto esperávamos na sala, havia um certo clima de tensão, sabíamos que, do nada, o Papa estaria entre nós, dando-nos uma mensagem da qual eu resgato este parágrafo:

“O artista, o intérprete e, no caso da música, o ouvinte têm o mesmo desejo: compreenderem o que a beleza, a música e a arte nos permitem conhecer sobre a realidade de Deus. E talvez nunca antes os homens e mulheres precisaram tanto, como no nosso tempo. Interpretar esta realidade é essencial para o mundo de hoje”.

A contemplação dos mistérios da vida de Jesus na recitação do Rosário, com a ajuda da música executada pelo Coro Alegria, quis e quer, precisamente, tornar conhecida esta divina realidade de Deus, aquela que, como na Parábola dos Talentos, com os dons multiplicados, o Senhor nos convida à mais plena alegria, a do coração, quando nos diz: “Vinde e alegrai-vos comigo” (Mt 25, 21).

Um breve momento com o Papa que significou muito

Depois da sua mensagem, cada participante pôde saudar pessoalmente o Santo Padre, eu estava sentado mesmo no fim de todos, vi-o de longe e guiado pelos guarda-costas do Papa, formámos uma fila, para o cumprimentar, um homem corajoso cantou o Hino do Ano da Misericórdia: Misericordes sicut Pater. Avançávamos como se fosse uma fila de comunhão, bastante rápida.  Não parecia ser verdade, mas eu disse a mim mesmo: “Joaquín, este não é o momento de derramar lágrimas, é preciso poder dar o CD ao Papa”.

E de repente, ele estava ali, com um sorriso.  Quem me precedeu na fila também foi um paraguaio, quando eu o cumprimentei disse-me: “Tantos paraguaios”! Então a minha apresentação foi: “Aqui vem outro paraguaio”, uma frase que terminou com um aperto de mão.  A seguir pude dizer-lhe: Papa Francisco, este CD é um presente do Coro Alegria do Paraguai, para si, na carta explico-lhe um pouco mais, vai com muito carinho. Enquanto lhe explicava, olhou-o com atenção e, com um sorriso, pegou nele e disse-me duas vezes: “Muito obrigado, muito obrigado”.

O CD não só chegou ao Papa, como chegou AOS Papas.

Georg Gänswein, Prefeito da Casa Pontifícia e secretário pessoal do Papa Emérito Bento XVI, eu também lhe entreguei um CD, para ambos, com um sorriso também o recebeu muito grato.  E, assim se cumpriu este anseio de todo o Coro Alegria e como disse Miguel Blasco, membro do coro: que privilégio que dois papas pudessem ter o CD: “Alegra-te comigo”!

Embora este encontro tenha sido um flash em que, em poucos segundos, pude entregar o disco ao Papa, e depois de ter meditado um pouco, estou consciente de que estar presente foi um impulso espiritual tão real e incrível de um coro inteiro que dedica tempo da sua semana como apostolado, oferecendo como presente para todos este dom musical que nos faz tão felizes, porque vem de Deus: o nosso cantar que nos faz um.  Portanto, esta entrega simboliza que, se o nosso dom pôde chegar ao Papa, também pode chegar a todo o mundo, a cada pessoa, a cada comunidade, para que possa tocar os corações e ser rezado todos os dias por milhares de pessoas que falam espanhol em todo o mundo. Hoje isto que foi entregue ao Papa, já está também nas plataformas de música disponível para todos.

Como colaborador do coro, estou certo de que o olhar afectuoso que o Papa lançou ao CD no momento da entrega e as suas poucas palavras, mas muito sinceras ao mesmo tempo, não foram só para mim, mas para TODO o coro, um afectuoso e duplo: muito obrigado, muito obrigado! palavras de gratidão de quem, como representante, fala em nome de Cristo na terra.

Maria, a fiel colaboradora, esteve presente

Finalmente, quem esteve por detrás de todo este grande presente foi a amada Virgem Maria, que queria que nos fosse dado este belo presente que, não é senão para Ela, para que mais pessoas Lhe possam rezar o Terço, que nos motiva e nos impele a erguer o nosso cantar. Pedimos muito a Maria, e posso dizer com total convicção que este encontro não foi mais que uma conquista de todos, como disse antes, com um impulso espiritual por parte do coro, oferecendo as nossas petições a Nossa Senhora que nos olha com tanto carinho e nos canta que somos Seus filhos muito amados, e como dizia Dom Bosco: ELA TUDO FEZ, com amor e com alegria para a maior glória de Deus.

 

Discurso integral do Papa aos participantes no Congresso de Música Sacra (em espanhol)

Sobre o Congresso

Fotos: Osservatore Romano, com autorização

 

Original: espanhol (25/11/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *