Colocado em 13. Setembro 2019 In Francisco - Mensagem, Igreja - Francisco - movimentos, sinodo18

Os 12 conselhos que o Papa Francisco dá hoje aos Jovens

PAPA FRANCISCO EM ÁFRICA, Acidigital/redacção •

O Papa Francisco abriu o coração a milhares de Jovens aos quais deu 12 conselhos para aplicarem na vida. —

Foi o que fez o Santo Padre durante a sua quarta viagem apostólica em África, no encontro inter-religioso com milhares de Jovens no Maputo, capital de Moçambique, depois de ter celebrado a Missa em privado na Nunciatura Apostólica do Maputo e de ter conhecido alguns jovens de Moçambique.

O Papa fez então a tradicional visita de cortesia ao Presidente da República de Moçambique e depois dirigiu o seu primeiro discurso às autoridades e ao Corpo Diplomático moçambicano.

Mais tarde, o Pontífice chegou ao Pavilhão Maxaquene com o Arcebispo de Maputo, um estádio com uma capacidade máxima de 15.000 pessoas, onde foi recebido com entusiasmo por milhares de jovens que cantavam e dançavam com alegria.

Aí, o Papa Francisco proferiu um discurso em português “com o coração aberto”, durante o qual foi interrompido em várias ocasiões com aplausos e ovações, enquanto acrescentava frases em espanhol.

Durante o encontro, o Santo Padre ofereceu estes ensinamentos aos jovens, que ele mesmo descreveu como: “pequenos elementos que podem dar-vos o apoio necessário para não se amedrontarem nos momentos de dificuldade, mas para abrir uma brecha de esperança; uma brecha que vos ajudará a pôr em jogo a vossa criatividade e a encontrarem novos caminhos e espaços para responder aos problemas com o sabor da solidariedade”.

 

  1. Vós sois importantes! Precisais de o saber, precisais de acreditar nisto: vós sois importantes! Mas com humildade!.
  2. Alegria partilhada e celebrada que reconcilia e se torna no melhor antídoto capaz de desmentir todos aqueles que querem dividir, fragmentar ou contrapor.
  3. Se quiseres chegar depressa, caminha sozinho; se quiseres chegar longe, vai acompanhado.
  4. Sonhai com os outros, nunca contra os outros; sonhai como sonhastes e preparastes este encontro: todos unidos e sem barreiras.
  5. Inimiga dos sonhos e do compromisso, não é apenas a resignação, mas também a ansiedade.
  6. Não deixeis que vos roubem a alegria. Não deixeis de cantar e expressar-vos de acordo com todo o bem que aprendestes das vossas tradições.
  7. Não é bom dar-se por vencido! Não caiamos no erro de parar porque há coisas que não correram bem à primeira.
  8. Sede capazes de criar a amizade social. Como é importante não esquecer que a inimizade social destrói. O mundo destrói-se pela inimizade. E a inimizade maior é a guerra.
  9. Os sonhos mais belos conquistam-se com esperança, paciência e determinação, renunciando às pressas.
  10. A paz é um processo que também vós sois chamados a fazer avançar, estendendo sempre as vossas mãos especialmente àqueles que estão a passar momentos difíceis.
  11. Procurai crescer na amizade também com aqueles que pensam de maneira diferente, para que a solidariedade cresça entre vós e se torne na melhor arma para transformar a história.
  12. Proteger a nossa Casa Comum. Aqui tendes um belo sonho para cultivar juntos, como família moçambicana, uma bela luta que pode ajudar-vos a permanecer unidos.

 

Por último, o Papa Francisco quis fazer uma última reflexão: “Deus ama-vos e, com esta afirmação, estamos de acordo todas as tradições religiosas. ‘Para Ele, és realmente valioso; tu não és insignificante. Importa-Se contigo, porque és obra das suas mãos. Por isso, presta atenção e lembra-Se de ti com carinho’”, disse e acrescentou: “Não quer guardar a conta dos teus erros e, em todo o caso, ajudar-te-á a aprender alguma coisa também com as tuas quedas. Porque te ama. Procura ficar um momento em silêncio, deixando-te amar por Ele. Procura calar todas as vozes e alarido interior, e para um momento nos seus braços amorosos”.

Por isso, o Santo Padre convidou o ficar alguns minutos em silêncio para refletir sobre o Amor de Deus, que “é simples, quase silencioso, discreto: não esmaga, nem se impõe; não é um amor estridente nem exibicionista; é um ‘amor feito de liberdade e para a liberdade, amor que cura e eleva”.

Original: espanhol (7/9/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Fonte: Acidigital

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *