Colocado em 17. Maio 2018 In Igreja - Francisco - movimentos

Para uma civilização global da aliança

EL PAPA FRANCISCO EN LOPPIANO •

“Cultura do encontro é a cultura de aliança que cria solidariedade”: em 25 de outubro de 2014, o Papa Francisco presenteou estas palavras ao movimento de Schoenstatt , palavras que para schoenstatt.org desde então são linha editorial. Em 10 de maio, o Papa voltou a chamar para construir uma cultura de aliança, uma civilização global da aliança. com estas palavras, o Papa Francisco lançou em Loppiano, o Centro Internacional do Movimento dos Focolares, o convite para enfrentar juntos as urgências do nosso tempo.  —

“Construir uma cultura compartilhada no encontro”: Este é o desafio que o Papa Francisco lançou esta manhã a partir do Centro Internacional de Loppiano (Florença, Itália), não só âs sete mil pessoas presentes no Santuário Maria Theotokos, mas também o mundo inteiro.

Referindo-se às “urgências muitas vezes dramáticas que nos invocam de todos os lados e não podem nos deixar em paz” – o Santo Padre sublinhou que não basta “encontrar pessoas, culturas e povos”. São necessários homens e mulheres “capazes de traçar novos caminhos para caminhar juntos” para dar vida a uma “civilização global da aliança”.

Papa Francisco chegou pontualmente à Cidadela dos Focolares às 10 horas. onde o esperava Maria Voce, Presidente do Movimento, Jesús Morán, Vice-Presidente, e o Bispo de Fiesole, Monsenhor Mario Meini. Depois de uma breve oração no Santuário, encontrou aos oitocentos e cinquenta habitantes de Loppiano de sessenta e cinco nações e milhares de pessoas de toda a Itália e de outros lugares, a maioria próxima do Movimento dos Focolares.

É a primeira vez que um pontífice visitou esta “pequena cidade”, que,- como Maria Voce definiu-o em sua saudação de boas vindas – quer ser um “laboratório de convivência humana, esboço de um mundo unido e testemunho de como a sociedade poderia ser se você estivesse baseada no amor recíproco do Evangelho “.

Continuou um diálogo aberto e sincero, articulado em torno de algumas questões de um grupo de cidadãos de Loppiano. As perguntas tocaram desde várias perspectivas, o argumento do desafio cristão ante à modernidade. O Santo Padre incentivou a não “esconder-se na vida tranqüila na” coisa certa “ou, mais ainda, em uma hipocrisia sutil, (…) mas sim viver como discípulos sinceros e corajosos na caridade e na verdade” e enfrentar as dificuldades ” com tenacidade, serenidade, positividade, fantasia … e também com um pouco de senso de humor “.

E referindo-se à missão de um projeto original como Loppiano no atual contexto social, o Papa convidou-o a levantar o olhar com ele “para olhar com fidelidade confiada e com generosa criatividade, ao futuro que já começa hoje”.

Depois de dar sua bênção, trinta e sete cidadãos de Loppiano de diferentes origens, religião, idade e status social cumprimentaram pessoalmente o Papa Francisco.

Em resposta às palavras do Santo Padre, o Vice-presidente do Movimento dos Focolares, Jesús Morán lhe deu um presente simbólico: um “pacto” assinado por todos os habitantes, que se empenham em viver de modo que Loppiano seja cada vez mais um lugar de fraternidade e reciprocidade.

Ao convite para assinar o “Pacto de Loppiano”, o Santo Padre uniu-se com alegria, em meio ao aplauso de todos os presentes.

 

 

Fotos e texto: www.focolare.org

Original: Espanhol. 10 de Maio  2018. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *