Colocado em 8. Novembro 2016 In Igreja - Francisco - movimentos

O Jubileu dos encarcerados – em Roma e no Centro Educativo Itauguá

VATICANO/PARAGUAI, Maria Fischer •

No quadro do Ano da Misericórdia, proclamado pelo Papa Francisco, no Domingo 6 de Novembro celebrou-se o Jubileu da Misericórdia para as pessoas privadas de liberdade. Nesta celebração foram convidados a participar, na Praça de S. Pedro, “os detidos com as suas famílias, os Agentes da Polícia Prisional italiana e outros operadores prisionais, os Capelães das cadeias e as Associações que lhes oferecem assistência dentro e fora das prisões”. Sublinhou-o Mons. Rino Fisichella, responsável do Vaticano para o Ano Santo, ao apresentar este evento no Gabinete de Imprensa da Santa Sé. Inscreveram-se mais de 4.000 pessoas, das quais mais de mil serão detidos, provenientes de 12 Países do mundo: Inglaterra, Itália, Letónia, Madagáscar, Malásia, México, Holanda, Espanha, Estados Unidos, África do Sul, Suécia e Portugal. O serviço litúrgico ficou a cargo dos detidos. As Hóstias utilizadas na Santa Missa foram feitas por alguns detidos da prisão italiana de Opera de Milão. Com o Crucifixo de madeira do século XIV restaurado recentemente, foi exposta a estátua de Nossa Senhora das Mercês, Padroeira dos Presos; o Menino Jesus tem nas mãos as algemas abertas como sinal de libertação e de confiança. Antes da Missa, o Papa Francisco saudou alguns encarcerados e personalidades presentes na celebração.

Na sua intervenção, Fisichella lembrou o interesse do Papa pelas pessoas encarceradas, destacando como, na sua Bula de convocatória do Jubileu, decretava como “Porta Santa” cada uma das celas dos que estão privados de liberdade. “O Jubileu sempre foi a ocasião de uma grande amnistia”, lê-se no documento que, indica como “nas capelas das prisões poderão ganhar a indulgência e, cada vez que, atravessem a porta da sua cela, dirigindo o pensamento e a oração ao Pai, possa este gesto ser para eles a passagem da Porta Santa, porque a misericórdia de Deus, capaz de converter os corações, é também capaz de converter as grades em experiência de liberdade.

Baptismo, Primeira Comunhão e Confirmação em Itauguá

“Pensamos que a celebração terá eco em todo o mundo”, indicou o Arcebispo que, contou como nos últimos meses a Santa Sé “escreveu às Conferências Episcopais de todo o mundo, convidando os Bispos a viverem este Domingo (6 de Novembro) visitando prisões e celebrando o Jubileu com os detidos”.

No Paraguai, o Bispo da Diocese de S. Lourenço, Mons. Joaquín Robledo, celebrou o Jubileu dos encarcerados com uma Missa no Centro Educativo Itauguá, no Domingo 6 de Novembro às 10 horas.

No quadro do dito Jubileu, vários adolescentes internados, devidamente preparados pela Pastoral das Prisões “Visitação de Maria”, a cargo do Pe. Pedro Kühlcke e da sua equipa, receberam os Sacramentos do Baptismo, Primeira Comunhão e Confirmação.

14650226_1600709366897465_3482573129374298567_n

 O Pe. Pedro Kühlcke com dois “jovens ex-internados”. Conseguiram sair para uma vida nova

Original: alemão. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , ,