Colocado em 2015-06-30 In Em Aliança solidária com Francisco, Igreja - Francisco - movimentos

A Evangelii Gaudium, um documento para passar à ação

ARGENTINA, por Esteban Pitarro, Aleteia.org •

Francisco, a Alegria que brota do povo. Uma reflexão compartilhada de Evangelii Gaudium, editado em Buenos Aires pela Editorial Santa Maria, apresenta um enriquecedor olhar conjunto ao documento mais “programático” do Papa Francisco.

A ideia de lançar um livro sobre a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium nasceu no seio do Grupo Tomas Moro, grupo de leigos que se dedicam à evangelização do mundo na política; uma de suas missões é o estudo e difusão do pensamento social da Igreja, explica Carlos Ferré, um dos autores do livro.

Junto com ele, assinam a obra Guzmán Carriquiry Lecour, secretário leigo da Pontifícia Comissão para América Latina; Juan Carlos Scannone, sacerdote jesuíta e referência do pensamento social que tem marcado o Papa; Carlos Galli, ex-decano de Teologia da Pontifícia Universidade Católica Argentina e Perito de Aparecida; além de Jorge Benedetti, José María Di Paola, mais conhecido como o Pe. Pepe, Gustavo Escobar e Victor Lupo.

“Convocamos os autores que, por sua capacidade intelectual e por seu testemunho no início da ação dos princípios da Doutrina Social da Igreja, podiam trazer uma contribuição para ampliar determinados temas que o Papa Francisco desenvolveu nesse magnífico documento”, conta Ferré.

Francisco e os povos image001

O nome do livro, afirma, “tem intenção de refletir sobre um fenômeno que é evidente para qualquer observador da realidade. Hoje, Francisco é para os povos um motivo de renovada esperança e, portanto, de verdadeira alegria”. O Papa, considera Ferré, “é considerado pelos povos como um deles”. Encontraram nele “o dirigente que sonhavam e que, ao mesmo tempo, acreditavam que não existia e, ainda mais, nem poderia existir”.

Ferré, mestre em Doutrina Social da Igreja, considera que “o vínculo que foi criado com o povo, desde o primeiro instante de seu papado, é de um mútuo reconhecimento; provou-se uma adesão ao Papa não apenas de católicos, mas também de homens e mulheres de vários credos, além dos não crentes, que o consideram uma autoridade moral, capaz de encabeçar as transformações que nosso mundo necessita”.

A origem dessa relação que comove o mundo, explica, “surge de sua íntima convicção no papel de protagonistas que os povos têm tanto na história da Salvação”. Nessa linha, Francisco retoma a concepção de Povo de Deus do Concílio Vaticano II e “reconhece os povos como sujeitos históricos, protagonistas das mudanças sociais”. Ferré declara, porém, que a visão do Papa de Povo é a de uma categoria histórica em permanente construção, “distante de concepções sociológicas, ideológicas ou de classe”.

Um itinerário de reflexão teológica e missionária

Francisco, a Alegria que brota do povo. Uma reflexão compartilhada da Evangelii Gaudium, conta com duas contribuições de Guzmán Carriquiry, o leigo de maior hierarquia na Santa Sé: “Missão da Igreja na América Latina, na Hora do Pontificado do Papa Francisco, à luz da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium” e “Um testemunho cada vez mais confiável”.

O Pe. Scannone escreve sobre “A inculturação na Evangelii Gaudium – Chaves de Leitura”.

Benedetti, sociólogo e mestre em Doutrina Social, analisa: Francisco, a Teologia do Povo e suas inserções políticas”. “A concepção de povo no pontificado de Francisco” é o título a cargo de Ferré. O Pe. Galli, membro da Comissão Teológica Internacional, é encarregado do capítulo: “Dez Chaves da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium”.

O Pe. Di Paola, referência dos “sacerdotes de favelas”, propõe um olhar sobre “A Religiosidade Popular”. O professor Escobar, formador de pastoral, escreve sobre “Nada mais acalentador do que ter esperança, uma Proposta para instalar uma pastoral encarnada e missionária”. E o dirigente do Movimento Social do Esportes, Víctor Luppo, fecha com “O Papa Francisco e o Esporte”.

Geração Francisco

Durante a entrevista com Aleteia, Ferré conta que contribuiu para a realização do livro o fato de todos seus autores fazerem parte da rede Geração Francisco, grupo que nasceu no ano do pontificado do Papa em resposta a “um genuíno processo de mobilização social”. “Acreditamos, e o tempo já o provou, que o ‘efeito Francisco’ não era uma moda passageira”, conta Ferré.

A Geração Francisco nasce assim como uma rede para vincular instituições, grupos e pessoas que aderiram às propostas do Papa em um âmbito o mais próximo possível das periferias existências, como explica. “Relacionamos organizações e grupos sociais, culturais, gremiais, universitários, estudantes, esportivos e também alguns grupos que reúnem agentes pastorais, como os ‘sacerdotes de favelas’, e nos propusemos a tarefa de difundir o pensamento de Francisco, apoiar e executar suas propostas e, de alguma forma, organizar esse carinho que o povo expressa em cada encontro que tem com ele”, conclui.

Em uma recente viagem a Roma, o Papa disse a D. Eduardo Lozano, um dos bispos que mais o conheceu como Bispo Auxiliar de Buenos Aires, que é preciso “aplicar” a Evangelii Gaudium, “não se contentar em ler alguns parágrafos”. Para quem busca dar o passo que Francisco propõe, Francisco, a Alegria que brota do povo. Uma reflexão compartilhada da Evangelii Gaudium é um documento enriquecedor por seu olhar social, suas argumentações teológicas e suas propostas pastorais. Uma ferramenta facilitadora para, como Francisco pediu ao bispo, dar o salto à ação.

Página de Geração Francisco

Programa radial de Geração Francisco

Apresentação do livro

Original espanhol. Tradução: Maria Rita Fanelli Vianna, São Paulo, Brasil

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *