Colocado em 2015-09-13 In Artigos de Opinião, Campanha

O grande segredo da fecundidade instrumental e universal de João Pozzobon

Por Cristina White, Argentina, missionária da Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt •

No próximo mês de outubro, terá lugar em Roma o Sínodo sobre a Família convocado pelo Santo Padre Francisco. Estamos conscientes das grandes pressões e dificuldades que a família cristã enfrenta na atualidade. Como Igreja, contamos com a ajuda da graça para encontrar caminhos que nos permitam salvá-la de tantos ataques e de tantos anti-valores a que o mundo a quer submeter. Daí a importância de rezar pela fecundidade do Sínodo e, ao mesmo tempo, ser protagonistas desta cruzada pela família.

Na Campanha da Mãe Peregrina, contamos com uma pastoral de luxo ao serviço da família. Joao Pozzobon soube captar esta iniciativa divina e entregou a sua vida por ela. Diz-nos no seu testamento: “O objetivo atual é salvar a família com todas as nossas forças, através da santificação”. Ele viu na Campanha que a Virgem Santíssima o tinha escolhido para uma grande Visitação que Ela queria empreender a partir do seu Santuário, a fim de manifestar-se como a grande Mãe e Educadora das famílias, do povo. Levando a mensagem da Aliança de Amor e as graças da peregrinação, mostrando-se como a grande portadora de Cristo, seu Filho.

Ele foi testemunha do trabalho de Maria em todos os lares onde a levava. Este trabalho foi fruto da sua vivência da Aliança de Amor. Em Schoenstatt, Deus quis submeter o trabalho divino à colaboração humana, ao Capital de Graças. Portanto, é indispensável que para que Ela trabalhe nesta Grande Visitação, que todos os que a levamos, lhe ofereçamos os nossos esforços pela santificação, para que Ela faça milagres de transformação nos corações daqueles que a recebem. Este foi o grande segredo de fecundidade instrumental e universal de João Pozzobon: a sua permanente contribuição para o Capital de Graças.

Milhares de imagens peregrinas percorrem hoje famílias e diversos lugares em distintos países do mundo; alguns com mais apoio espiritual, e outros com menos, por estarem no seu início e longe dos Santuários. Muitos missionários talvez não tivessem podido ser preparados para selar a sua Aliança de Amor.

A universalidade da Aliança de Amor convida-nos e anima-nos a ter uma visão ampla da fecundidade do nosso Capital de Graças, canalizado para apoiar a marcha vitoriosa que a Virgem Santíssima empreendeu pelo mundo como o nosso grande contributo para este Sínodo da Família; para que Ela atue em tantos lares que visita e para que à sua passagem, milhares de corações se abram à mensagem de Schoenstatt. Através da Campanha pode-se conseguir uma grande revolução de corações, que, em Aliança com Ela, salvem as famílias do mundo inteiro.

Parece uma loucura, mas como dizia Joao Pozzobon, há duas classes de loucos: os que vão para o manicómio e os loucos de amor. Façamos parte destes últimos e julguemo-nos através do nosso fiel e fidelíssimo cumprimento do dever, e da nossa intensa vida de oração pela Campanha no mundo inteiro, pelo florescimento de Schoenstatt, e … pelo maior bem da Mãe Igreja!

Original: espanhol. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.