Colocado em 19. Janeiro 2018 In Vida em Aliança

Festejos com sabor amargo

CHILE, Verónica Gutiérez •

Hoje, 18 de Janeiro, tínhamos razões de sobra para festejar. O Papa Francisco terminava a sua visita ao Chile. Coroou três vezes Nossa Senhora do Carmo, Padroeira do Chile e era dia de Aliança. O Pontífice celebrou a sua terceira Missa no norte do país, na cidade de Iquique, durante a qual coroou Nossa Senhora da Tirana, a “chinita”como Lhe chamam carinhosamente. Pouco depois, um ladrão roubaria a Coroa do Santuário Cenáculo de Bellavista.

Que dor é ser portador de notícias tristes. As más notícias acabam por ser superadas mas, dar uma notícia triste é um peso para quem a dá e para quem a recebe. Calhou-me, hoje, a mim, informar os mais chegados que, tinham entrado três pessoas e, de forma violenta, roubaram a Coroa do Santuário Cenáculo. A que tinha sido colocada pelo Padre Kentenich num 5 de Junho de 1949.

A notícia espalhou-se rapidamente pela Família schoenstatteana e decidi ir à Missa da Aliança para rezar por este triste delito e acompanhar a Mater, neste dia, que tinha começado tão bem.

Embora em Janeiro, a maioria das pessoas esteja de férias e era dia de semana, a igreja dos missionários estava cheia. Todos tinham ouvido a triste notícia. À entrada do Santuário, vi, com desgosto, os polícias tirando apontamentos e fotografias do local. Também alguns repórteres que cobriam a notícia do roubo.

Puxão de orelhas

A Missa foi celebrada com paramentos roxos. Cinco padres no Altar com as estolas roxas, entre eles, o Pe. Raúl Hasbún, o Pe. Fernando Adriazola, o Padre Superior Provincial Fernando Baeza e o Padre José Manuel López.

O Pe. Fernando Adriazola fez a Homilia. Falou por todos quando, se referiu à tremenda dor duma experiência destas quando acabávamos de celebrar uma coisa tão grande como o foi a visita de um Papa ao cabo de 30 anos.

Mas, também deu uma perspectiva importante. Não se limitou a lamentar a perda, mas também, nos fez reflectir sobre esta situação. O Papa nas três Missas multitudinárias a que presidiu durante a sua estadia, três vezes coroou Nossa Senhora do Carmo. “Neste 18 de Janeiro, o Papa coroou Nossa Senhora em Lobitos (uma explanada da Universidade Arturo Prat em Iquique, no norte do Chile). Pouco depois, a Mater é “descoroada”. É violado o nosso lugar santo. É dessacralizado o nosso Santuário. Acho que é tempo de nos perguntarmos o que Lhe falta, o que nos pede, a esta terra Cenáculo de Bellavista. Devemos coroar, de novo, a Mater. Se perdemos a Sua Coroa, parece que Nossa Senhora nos pede que voltemos a conquistá-la. Temos agora este desafio”.

O que aconteceu

A Irmã Maria Ignacia estava presente quando aconteceu o assalto. Diz que estava em mudança de turno no Santuário com mais duas Irmãs. Três homens manietaram os guardas, tiraram-lhes os telemóveis e os rádios e entraram num carro. O Santuário Cenáculo está localizado num parque grande. Do portão até ao Santuário vão muitos metros. Entraram no Santuário, fecharam a porta e ameaçaram as Irmãs com facas. A Ir. Maria Ignacia perguntou-lhes ao que vinham e, um deles foi direitinho tirar a Coroa do quadro, dando um salto sobre o Altar. Tentou tirar as açucenas que rodeiam a moldura e a lança de S. Miguel mas, não conseguiu. A seguir, fugiram. Isto traz-nos recordações amargas. Esta não é a primeira vez que acontece uma coisa parecida. Em 1969, foi profanado o Santuário. Dessa vez foi grave. As hóstias ficaram espalhadas por toda a parte. Desta vez, diz a Ir. Maria Ignacia, o Santíssimo estava exposto, pois estavam em Adoração mas, que o homem foi direito à Coroa. Além disso, esclareceu que, não foi como da outra vez. “Inclusivamente, nesse momento, pude sentir que a Mater protegia o Seu Filho. Que preferiu que Lhe tirassem a Coroa a que fizessem mal ao Seu Filho”. A Irmã agradece que não lhes tivessem feito mal e que não tenha acontecido nada de mais grave a lamentar.

Depois da Missa, aproximámo-nos do Santuário para nos consagrarmos. O Pe. Fernando pediu-nos que chegássemos mais perto do Santuário e que, cada um, o benzesse. Devíamos acompanhar Nossa Senhora nestes momentos difíceis e, cada um, dos mais de 300 fiéis que assistiram à Missa, pôs as mãos nas paredes e nas superfícies.

O Pe. Fernando deu-nos várias tarefas: rezar por este roubo, rezar por quem o perpetrou e trabalhar com muito Capital de Graças.

Pedimos-vos que rezem pelo Santuário Cenáculo de Bellavista que, muito precisa. Que a notícia seja divulgada o mais possível e, sobretudo, muita oferta ao Capital de Graças.

Original: espanhol (19/1/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

1 Responses

  1. No dia da renovação de nossa Aliança com a Mãe e às sombras do 20 de Janeiro, 2º marco histórico – que nos recorda a potência da Liberdade Interior – tivemos tão amarga notícia!
    Que se encontre forças no Capital de Graças e discernimento para entender os sinais deste desagravo.
    A coroa da Mãe se foi, após ser coroada 3 vezes no mesmo dia, no mesmo dia que renovamos nossa Aliança que a coloca como Rainha de nossas vidas.
    A importância do 20 de Janeiro também me faz pensar que temos que zelar por nossa liberdade e nossa coroa interior para coroar novamente nossa MTA.
    Daqui do Santuário de Caieiras / Brasil, estamos unidos em oração e oferecendo as missas diárias, sentimos profundamente esta profanação e nos unimos à Família de Schoenstatt de Bellavista em oração e aliança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *