Colocado em 12. Julho 2017 In Vida em Aliança

Um Sim rotundo a Deus: Tomada de Túnica de Sião

PARAGUAI, Julio Giménez •

Esta quieta tarde de domingo de um inverno que teima em não chegar, raramente sem futebol, permite-nos entrar nas profundezas do nosso ser espiritual e recordar os momentos vividos no dia 8 de julho de 2017, em Tuparenda, com a Tomada de Túnica dos noviços dos Padres de Schoenstatt oriundos de todas as partes da América, de Portugal, Alemanha e Hungria.

Natureza e clima propícios, um sol radioso; o verde da vegetação que se agitava compassadamente pela suave e fresca brisa que nos refrescava a alma e o coração. Esse era o cenário que nos recebia e acolhia para esse momento tão especial de cenáculo.

De entrada os sons dessa bela mas singela música que, a imagem de seu inspirador São José,  nos envolvia com a magia da sua letra e som, representando para nosso deleite a figura deste santo humilde, singelo, silencioso, que como diz parte da letra foi “Custódio da Luz”, essa luz que é Jesus Cristo.

A música entoada por um coro que parecia saído de um sonho, acompanhado por um magnífico grupo instrumental, transportava-nos pela superfície e elevava-nos às alturas que só o espiritual é capaz de fazer, numa conjunção de fiéis, familiares, sacerdotes, religiosas e, claro, os noviços. Estes últimos chegaram ao recinto com os seus rostos refletindo a plenitude e a alegria de dar esse passo tão radical para a sua pessoa, para a Igreja e para o mundo.

Aqui ouvia-se a voz do Senhor

Muitos lugares comuns poderia citar em relação a este grande acontecimento, mas só queria referir os seguintes, que não são precisamente comuns ou ordinários: na Antífona dizia-se: “Que aqui se escute a voz do Senhor”. Sim, ali escutava-se a voz do Senhor, no palpitar dessas 21 almas que se consagravam a Deus. Esse palpitar era-nos transmitido e a sensação parecia aprofundar-se com o harmonioso som dos sinos de Tuparenda, que se uniam ao coro e grupo instrumental. Era como se Deus dissesse: “Samuel, Samuel” e víamos esses 21 Samuelzinhos respondendo: Sim Senhor! Sim Senhor!

Depois a música que nos levava mais às profundezas das nossas almas quando o coro cantava “abri as portas a Cristo, não tenhais medo…”, recordando-nos S. João Paulo II e Bento XVI. A bonita homilia do Padre Juan Pablo Catoggio, Superior Geral dos Padres de Schoenstatt, quando, dirigindo-se  a cada um dos noviços, lhes dizia algo como isto: “a coisa é muito simples mas ao mesmo tempo desafiante: caíste nas graças de Deus e, por isso, o compromisso é ainda mais forte”.

 

Homilia do Padre Juan Pablo Catoggio (mp3)

21 jovens que deixam tudo pelo TODO

Noviços vindos de todas as partes, com a presença de nada menos que 5 rapazes de diversos pontos do Paraguai, de famílias do Paraguai profundo, a tal ponto que um deles se nomeou de “embaixador” de Quyquyho, uma pequena aldeia que me é muito querida por razões familiares e que fazia palpitar ainda mais forte o coração da minha querida esposa Cristina, e vendo o seu rosto cheio de lágrimas de emoção e alegria eu também fiquei emocionado.

Na Oração dos Fiéis respondia-se ÑANDE JARA ORE RENDU (Deus escuta-nos), e creio que efetivamente ÑANDE JARA, nos escutava, especialmente quando nos referíamos a essas 21 almas que se consagravam para o longo processo de preparação e convicção do percurso que Deus e a nossa Mãe lhes ofereciam.

Por ultimo poderíamos pensar, o que aconteceu para que estes jovens deixassem tudo o que o mundo lhes oferece? Eu penso que deixam tudo para acederem ao TODO, ao maior, ao mais excelso, ao que não tem preço, que é estar mais próximo de Deus.

Um deles era estudante de engenharia aeroespacial, dedicado a aprender as maravilhas do universo, agora estudará as maravilhas de Deus, imensidade que nem sequer se pode comparar com a grandeza do cosmos.

Enfim, momentos de intensa espiritualidade, de imensa alegria que só Deus e a Mater nos podem dar.

 

Fotos: Johana Goodacre, Seba Denis, Movimento de Schoenstatt Austin (Facebook)

Obrigado Sonia Zaracho e Sandra Lezcano pelas traduções do guaraní.  Original: espanhol. 10.07.2017. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *