Colocado em 30. Maio 2017 In Casa Mãe de Tuparendá, obras de misericórdia

Casa “dos milagres” Mãe de Tuparendá…

PARAGUAI, Ricardo Acosta, advogado •

O pão dos filhos e as migalhas que caem…

Nós escutamos sobre grandes milagres nos renomados santuários como Lourdes, Fátima, Luján ou até mesmo Caacupé, no Paraguai. Mas nunca imaginei que iria presenciar milagres a sombra do Santuário de Schoenstatt em Tuparendá. Sempre me lembro da passagem bíblica do Evangelho de São Mateus 15,25-27: a mulher cananéia que buscava um milagre para sua filha endemoninhada, implorando ajuda de Jesus: “A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: “Senhor, ajuda-me! “.

Ele respondeu: “Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos”. Disse ela, porém: “Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos”.

 

Padaria, Casa Mãe de Tuparendá

Carência de humanidade

Tanta necessidade existe que suplicamos as migalhas da mesa do dono. Mas sem nos darmos conta de que os necessitados realmente não somos nós, mas sim, os menos favorecidos, sem oportunidade e abandonados à sorte, que nem migalhas receberam.

Não é que não acredito nestas coisas, mas me custa acreditar…. Desde que comecei a trabalhar na área legal da Casa Mãe de Tuparendá (CMT), sendo advogado me concentrava muito no judicial e quase me esquecia da pessoa. Justamente, cada um dos que participam do projeto foram parar nos centros educativos de adolescentes, porque ninguém lhes viu como pessoas valiosas e importantes. Palavras literalmente ditas em uma de minhas visitas à delegacia, um oficial me disse: “Está perdendo tempo por eles, eles não têm solução, não vão se recuperar”. Eu fiquei com um nó na garganta com a raiva que me gerou este comentário. E neste mesmo dia, quando estava voltando à CMT, perguntei-me a mim mesmo: Você acredita neles?

Visitante de Portugal na CMT

Abrir os olhos do coração

A partir desse momento tudo mudou. Olhei além do registro do expediente, via a pessoa pedindo uma oportunidade, começava a notar a carência que passaram e continuam passando alguns desses jovens.

Desde este dia, meu olhar e minhas palavras para com eles mudaram. Já os considerava como meus irmãos menores e que precisavam de mim, não porque eu tivesse a fórmula secreta de mudar suas realidades ou sua história pessoal, mas porque eles podia confiar em mim e eu neles. Mesmo sabendo que muitos deles não cumprirão com seu compromisso ou promessa,  saberão que alguém lembrará deles, que alguém confiou neles e por isso, não irá maltratá-los ou denunciar. Alguém volta a crescer neles novamente, coisa que nenhum deles teve em sua vida.

A maioria das vezes estes jovens sobreviviam às migalhas que recebiam: mais tempo nas ruas que em sua casa; menos abraços da mãe e pai, porque estão ausentes; não estão nas escolas, porque cumprem um papel de sustentar o lar… e milhares de situações que lhes impediram acalmar a fome que tinham não só física, mas sobre tudo da alma. Tudo isso porque “os donos” não lhes davam suficiente, nem suplicavam ou eram insistentes como essa mulher cananéia. A fé dessa mulher comoveu Jesus e sua filha se recuperou.

 Milagres vivos

Presenciando milagres

Por que alguém perde a força tão rápido para lutar por este milagre? Um milagre no qual este alguém é protagonista, é o canal. Ele pode presenciar como vai acontecendo e vai se concretizando este fenômeno sobrenatural fantástico, mas que também mereceu a intervenção de muitas pessoas, que, apesar dos resultados adversos, não perdem a esperança.

 

Os três primeiros

Se aproximam os três primeiros formados deste centro, que muda dezenas de realidades dia após dia. São os primeiros que completam os nove meses do projeto CMT, nove meses que decidiram se dar a oportunidade de melhorar; de lutas e perseverança; nove meses de tropeços, mas acima de tudo de se levantar sempre após as quedas, podem ter caído cem vezes, mas se levantaram cento e uma vezes. Eles são os primeiros de tantos que testemunharemos.

Ricardo Acosta durante seu trabalho na Casa Mãe de Tuparendá

Aliança e compromisso

Um muito obrigado ao Ministério da Justiça e os inúmeros colaboradores e benfeitores pela confiança na Casa “dos milagres” Mãe de Tuparendá, já que sem o apoio material e espiritual de cada um, seria quase impossível levar adiante esta obra. Não fazemos mágica, só brindamos oportunidades aos que realmente as necessitam.

Contínua aliança estratégica entre o Ministério da Justiça e Fundaprova para reabilitar jovens, 18.05.2017

Ministerio de Justicia: Continúa alianza estratégica entre el Ministerio de Justicia y Fundaprova para rehabilitar a jóvenes

Você ou vocês – como grupo, comunidade, diocese, ramo, curso da união, instituto – querem fazer parte deste milagre?

É tão fácil… com sua oração diária para um dos jovens da Casa, com sua contribuição ao Capital de graças por eles e sim, com outro capital também, pois estes jovens necessitam comida e roupa, ferramentas e atenção profissional…. Cada Euro, Dólar, Peso, Guarani ou Franco… vale. Muito obrigado.

PARA DOAR – basta clicar aqui (cartão de crédito, PayPal, na Europa também transferência Bancária)

Escanear el QR Code

 

 

 

 

 

Para doar offline:

Conta no Paraguai:

Fundaprova

Cuenta: 102792992

Sudameris Bank SAECA, BIC  BSUDPYPXXXX

RUC80079669-1

 

Cuenta en Europa (transferencias desde SEPA son gratis)

Schönstatt-Patres International e. V.

IBAN: DE91 4006 0265 0003 1616 26

BIC/SWIFT GENODEM1DKM

Uso previsto: P. Pedro Kühlcke, Casa Mãe de Tuparendá

 

Todos os artigos sobra a Casa Mãe de Tuparenda

Original: espanhol. Tradução: Isabel Lombardi, Guarapuava PR, Brasil.

Celebrando o grande abraço misericordioso de Deus na Casa Mãe de Tupãrenda

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *