CIEES – Comité Iberoamericano de Executivos e Empresários Schoenstatteanos

Rumo a uma cultura de Aliança na empresa: O início deste apostolado é feito através dos empresários leigos do Movimento de Schoenstatt e de alguns Assessores do Movimento que desejam levar a Cultura da Aliança à Empresa e desenvolver um Ideário do Empresário Schoenstatteano que permita levá-lo à vida e pô-lo em prática, no dia-a-dia da empresa, de forma que, possamos distinguir, não só, empresários schoenstatteanos, mas além disso, empresas schoenstatteanas.

 

No caminho para 2014, como presente para o Pai-Fundador e, como contribuição para a cultura da Aliança, surgiu a iniciativa de realizar o 2º Congresso de Visão e Liderança Schoenstatteanos – Capítulo Empresários com sede em Guayaquil, Equador – de quinta-feira, 17 até domingo, 20 de Novembro de 2011.

Esta iniciativa tem como precedente o 1º Congresso de Visão e Liderança Schoenstatteano ocorrido em Santiago do Chile, em Novembro de 2010. No dito Congresso, os participantes da Comissão Empresa, ao trocarem experiências, chegaram à conclusão que o primeiro passo para levar a Cultura da Aliança ao âmbito empresarial, é aclarar qual é o traço kentenichiano que deve caracterizar um empresário ou alto executivo e a própria empresa.

Para responder satisfactoriamente a este anseio, os empresários que participaram no mencionado encontro mantiveram-se em contacto e, é por esta razão, que um grupo de leigos schoenstatteanos e de Assessores do Movimento de Schoenstatt, em contexto eclesial, se comprometeram a organizar um Comité Iberoamericano de Executivos e Empresários Schoenstatteanos que se orientará pelos princípios e normas que, mais abaixo enunciaremos.

O II CONGRESSO da CIEES realizou-se em S. José, Costa Rica, de 7 a 10 de Novembro de 2013 Ficou marcado para 2015 o III Congresso da CIEES a realizar, no México.

OS OBJECTIVOS DA CIEES

Os Objectivos desta iniciativa têm o seu fundamento nos mesmos objectivos que o Pe. Kentenich traçou e determinou para o Movimento de Schoenstatt e são, em adenda, os seguintes:

  1. Que a Pedagogia e Espiritualidade do Pai-Fundador é, na sua totalidade, aplicada à gestão empresarial e, consequentemente, ambas são um fim em si mesmas. Que devem ser aplicadas e vividas no âmbito da empresa e do empresário.
  2. Que é parte inerente do nosso ser e do caminhar da nossa vida, como schoenstatteanos e como empresários, o dar a conhecer e promover um modelo de empresa e de empresário coerente com a Cultura da Aliança, os seus objectivos e a sua praxis.
  3. Desenvolver, de acordo com a Pedagogia do Pai-Fundador, as aplicações na prática, que permitam fomentar e aprofundar uma nova relação, orgânica e kentenichiana do empresário e da alta direcção da empresa, com todos os elementos que a constituem e ao seu campo de acção, incluindo os trabalhadores e as suas famílias, os fornecedores, os clientes, o meio ambiente, o Estado e os activos corpóreos e incorpóreos que foram postos à disposição do empresário pela Providência.
  4. Promover a prática empresarial dos princípios e leis que orientam a estrutura e organização de Schoenstatt, tais como, o princípio da universalidade, da lei da polaridade, da lei da construcção e da lei da condução e transferência orgânicas.
  5. Como fundamento necessário para desenvolver o ponto anterior, elaborar um documento no qual, como empresários e executivos schoenstatteanos esclareçamos o conteúdo das Encíclicas Sociais (EESS) , o significado prático dos princípios éticos ou morais enunciados, a sua validade para diferentes situações práticas, diferenciar ou estabelecer que princípios são válidos em qualquer situação empresarial ou quais são, preferencialmente, um objectivo recomendável a seguir. Nestes temas, pedir aos empresários schoenstatteanos propostas concretas que complementem e enriqueçam as opiniões da Hierarquia da Igreja.

 

Pôr em prática a Cultura da Aliança na empresa

O início deste apostolado é feito através dos empresários leigos do Movimento de Schoenstatt e de alguns Assessores do Movimento que desejam levar a Cultura da Aliança à Empresa e desenvolver um Ideário do Empresário Schoenstatteano que permita levá-lo à vida e pô-lo em prática, no dia-a-dia da empresa, de forma que, possamos distinguir, não só, empresários schoenstatteanos, mas além disso, empresas schoenstatteanas.

O CIEES tem como atribuição viver a Cultura da Aliança na empresa e em todos os âmbitos e elementos que a constituem, os trabalhadores e as suas famílias, os fornecedores, os clientes, o meio ambiente, o Estado, os activos corpóreos e incorpóreos que foram postos à disposição do empresário pela Providência.

Há múltiplos testemunhos da vivência da Cultura da Aliança, na empresa, nos diferentes países, nos quais, a CIEES está presente.

Vínculos com outros projectos

No II Congresso da CIEES estiveram presentes membros da IKAF (Internationale Kentenich-Akademie für Führungskräfte)

Desenvolvimento e visão para o futuro

O desenvolvimento da CIEES está estabelecido para cada Comité Nacional, em cada um dos países membros, e, em conjunto, está estabelecido para 2015 , no México, no II Congresso.

Uma das primeiras tarefas é determinar qual o IDEÁRIO DO EMPRESÁRIO SCHOENSTATTEANO.

A presidência da CIEES é rotativa.

Possibilidades de criar vínculos:

COSTA RICA:
Manuel E. Hernández: [email protected]
Manuel E. Montero: [email protected]

MEXICO:
RAUL TREVIÑO: [email protected]

ECUADOR:
EDUARDO JURADO: [email protected]

BRASIL:
ALEXANDRE PEIXOTO: [email protected]

ARGENTINA:
CARLOS BARRIO [email protected]

PERU:
JORGE ARTETA: [email protected]

CHILE:
PABLO NAVARRO: [email protected]

ESPANHA:
MARCELO SCOCO: [email protected]

ESTADOS UNIDOS:
SANTIAGO RODRIGUEZ: [email protected]

Internet: congresoempresarioscr.com

Original: Espanhol – Trad : Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal