Cruzada de Maria

Por ocasião da celebração do jubileu do 31 de maio de 1999, realizou-se, em Bellavista, um Encontro Internacional da Juventude Masculina, chamado Pentecostes Jovem.  Como programa prévio, realizou-se uma peregrinação à pé, partindo do Santuário de Mendoza, cruzando a cordilheira dos Andes, através do passo do Cristo Redentor.  O sentido dessa peregrinação foi expressar, por meio de um gesto simbólico, o significado e a magnitude do acontecimento que se ia festejar, e isso de uma forma própria da Juventude Masculina. Surgiu assim a Cruzada de Maria, que desde então forma parte da agenda da Juventude Masculina do Chile, Argentina, e de todos os países da América Latina – e mais além.

Rumo ao Cristo Redentor

Foram celebrados os 50 anos do início de uma cruzada pelo pensar, amar e viver orgânicos na vida cotidiana, como e com Maria;  uma luta por levar Maria a todos os ambientes da vida e da sociedade, para que Ela, em razão da Aliança de Amor, seja aquela que conduz a Cristo.

A forma de expressar isso em um gesto simbólico foi colocar-se em marcha sob o sinal da cruz, com Maria, peregrinando de um Santuário mariano a outro, e tendo, no alto do caminho, o próprio Cristo que contempla a Argentina e o Chile e os bendiz – o Cristo Redentor.

Seguindo os passos do Exército Libertador

Esse caminho foi o mesmo que, há um século e meio, viu marchar o Exército Libertador de Bernardo O’Higgins e San Martin.  Ali começou a independência desses povos.  Quando saíram de Mendoza, se consagraram à Virgem do Carmo e, no local da vitória, construíram ali, para Ela, um grande Santuário – o de Maipú. A Cruzada de Maria não evoca apenas a luta pela independência;  trata-se, realmente, de uma luta contra tudo o que provoca afastamento de Deus, que impede descobri-lo bem próximo de nós como Salvador e de viver uma relação de Aliança de Amor com Ele.  Não se trata de mobilizar armas, mas, sim, o espírito, dispostos à doação total, para que Maria reine em meio ao seu povo e nos Santuários marianos, que são um permanente convite para que assim se realize.

Uma cruzada em nome de Maria

A Juventude se põe em marcha, deixando de lado o supérfluo, até mesmo o necessário, para atravessar os maiores obstáculos e chegar ao pico, a partir do Santuário e rumo ao Santuário.  Celebram uma cruzada que já teve início há 50 anos, cruzada da qual todos fazemos parte.  A cruz dos Andes é o símbolo da Cruzada em nome de Maria – por isso, chama-se “Cruzada de Maria”.

Cruzada de Maria… em marcha

Cada dia da peregrinação é orientado pelo tema “Cruzada de Maria… em marcha”.  A Cruzada de Maria busca, também, seguir a inspiração de Mario Hiriart, que encarnou de forma clara o espírito pelo qual se iniciou esta grande peregrinação e que sonhou como união dos povos no Santuário: “nos Andes, construiremos um santuário, símbolo de união de nossos povos e corações, e do triunfo que a Mãe de Deus conseguirá por meio de seus instrumentos”.  No bastão de peregrino que segue à frente da Cruzada está incrustada uma réplica da cruz da tumba de Mario Hiriart, simbolizando que, assim, seus passos são seguidos, pedindo sua ajuda.

No total são percorridos aproximadamente 400km em 16 dias e das últimas edições participaram 120 peregrinos.  A Cruzada de Maria une os jovens de vários países: Argentina, Chile, Brasil, Paraguai, México, Equador – entre outros, que, durante todo esse tempo, caminham sob a bandeira de Maria.  É, sem dúvida, uma manifestação do que a fé consegue, de como se pode superar os obstáculos que a vida apresenta, simplesmente mantendo firme o rumo e um horizonte claro.  Em seu livro, Javier Lascano (seminarista dos Padres de Schoenstatt e participante em três ocasiões da Cruzada de Maria) a define como uma loucura de amor –  e sem dúvida é isso, uma manifestação do Amor de Deus e da Virgem.

A Cruzada de Maria foi realizada nos anos: 1999, 2001, 2004, 2007, 2010, 2012 e 2014.

Cruzada de Maria 2014

A Cruzada de Maria realizou-se, em janeiro de 2014, como contribuição da “Geração Missionária” para o Jubileu 2014, “para celebrar como Juventude Masculina Internacional o centésimo aniversário da fundação do Movimento.  Queremos renovar-nos no espírito de congregantes e fundadores e, retomando os quatro pilares da Juventude Masculina Internacional, levar Schoenstatt aos próximos 100 anos”.

Informações:

Cruzada de María 2014
[email protected]

Video: Cruzada de María 2014

 

 

Material para descarregar: