Madrugadores: contribuição original da Família de Schoenstatt para a Igreja das novas praias

Logo de los madrugadoresUma iniciativa simples e modesta – madrugar para rezar no Santuário ao sábado pelas 7h00 – reúne homens laicos que querem assegurar de forma masculina a sua vinculação heróica ao lugar de graças: o Santuário da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt. A periocidade do encontro parece ser pouca; mas a perseverança trouxe consequências inesperadas para quem a iniciou e que agora muitos qualificam como um presente divino. Com o tempo as comunidades de Madrugadores não só cresceram e se desenvolveram em torno dos Santuários de Schoenstatt, como também em torno de capelas e paróquias, conseguindo uma inserção diocesana muito importante. De facto, neste momento há mais comunidades paroquiais ou diocesanas a madrugar do que as que madrugam nos Santuários de Schoenstatt.

É exclusivamente para homens, a única mulher presente é a Virgem. Uma piedade masculina que atrai cada vez mais homens.

Surgiu em Rancagua (Chile), no tempo da bênção do Santuário de Schoenstatt dessa cidade. Foi no ano de 1989 quando a Família de Schoenstatt celebrava os 40 anos do 31 de Maio. A corrente dos madrugadores experimentou a partir desse momento dez anos de desenvolvimento, e em união ao Jubileu de 1999, quando se celebraram os 50 anos da Missão do 31 de Maio em Bellavista, junto a toda a Família Internacional, os Madrugadores  expandiram-se com força por todo o Chile inclusivamente pelos países vizinhos.

No Chile há 66 comunidades de Madrugadores, distribuídas entre Arica (no Norte) e Punta Arenas (no Sul). No estrangeiro há 41 comunidades: Bolívia, Peru, Argentina, Colômbia, Equador, México, Costa Rica, El Salvador, Porto Rico, Espanha, Portugal e Alemanha (ver Chile-mundo).

Os Madrugadores reúnem-se quinzenalmente em Paróquias, Santuários ou Ermidas, para ter um encontro só de homens junto ao Senhor e à Santíssima Virgem Maria. É uma corrente de vida que surgiu entre homens dispostos a entregar o seu melhor a Cristo e a Maria. Formularam há dois anos num encontro de todas as comunidades a “Missão do Madrugador”: “Promover e impulsionar fraternal e alegremente o vínculo com Deus, Cristo e Maria, o fortalecimento e conquista da santidade da vida diária e o empenho apostólico por transformar cristãmente o mundo, como instrumentos marianos, através de encontros masculinos de oração e Eucaristia de madrugada em Santuários, ermidas e igrejas”. É a sua coluna vertebral que dá vida e motivação a cada comunidade. Cada comunidade é independente no modo de desenvolver a madrugada, algumas participam na Santa Missa, outras adoram o Santíssimo Sacramento, outras rezam o terço, outras meditam sobre algum texto de oração ou formação. Rezam-se algumas orações do Rumo ao Céu e outras próprias de cada lugar…

Nos últimos anos, os Madrugadores foram aprofundando a sua identidade e a sua missão. Para isso elaboraram as características do espírito que os move, realizaram alguns encontros no âmbito nacional e têm permanecido profundamente unidos à Família de Schoenstatt, especialmente em cada um dos lugares onde se reúnem.

Grupo de madrugadoresUma actividade para Maria

A perseverança e a fidelidade dos primeiros a uma actividade tão simples, madrugar para rezar no Santuário aos sábados pelas 7h00 da manhã teve uma fecundidade insuspeita e inesperada, só explicada e entendida à luz de uma condução e erupção da Graça de Deus. As comunidades que madrugam em alguns dos Santuários ou Ermidas de Schoenstatt fazem-no conscientes das graças especiais que a Virgem Santíssima oferece a esses lugares: a graça do acolhimento em Deus, a graça da transformação em Cristo e a graça do envio e fecundidade apostólica. Esta vinculação heróica ao lugar de graças – uma das motivações principais dos fundadores – é também expressão original da fidelidade à Aliança de Amor selada pelo P. José Kentenich com a Virgem Santíssima e que deu origem ao Movimento de Schoenstatt. Maria Mãe e Educadora, são características próprias da modalidade em que Ela se manifesta através de toda a espiritualidade de Schoenstatt, e é o que experimenta cada pessoa que peregrina a qualquer Santuário da Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt, independentemente de pertencer ou não ao Movimento de Schoenstatt. O espírito que anima os Madrugadores e a cada uma das suas comunidades está marcado por uma profunda liberdade e respeito à individualidade. A relação entre as distintas comunidades acontece na unidade do espírito, nos vínculos pessoais e na coordenação organizativa. Os Madrugadores acolhem com alegria e generosidade a incorporação nesta corrente de vida de comunidades diocesanas, as que madrugam em capelas ou paróquias.

A madrugada termina tradicionalmente com um pequeno-almoço, que é o momento por excelência de partilhar em comunidade. “Esta tradição deu-nos uma merecida fama de comilões e tem um interessante antecedente evangélico na comunidade dos apóstolos, os que foram acusados do mesmo pelos fariseus. Nós defendemo-nos dizendo que o Evangelho mostra o Senhor rezando com os apóstolos algumas vezes e comendo com eles muitas mais. Trabalhamos portanto em consequência evangélica – Cremos que esta maneira de nos relacionarmos entre nós, com um humor um pouco rude mas carinhoso, permitiu o crescimento da comunidade de corações de forma muito unida, gerando uma grande camaradagem que não seria tão plena com a presença feminina.

Fazer suas as palavras do Santo Padre

Para eles e para quem participa activamente no Movimento de Schoenstatt, as palavras de João Paulo II, dirigidas à Família de Schoenstatt, em Roma no dia 20 de Setembro de 1985, adquirem uma extraordinária e esclarecedora orientação no que respeita à importância da fidelidade à ordem divina, à sua Obra, e à relação com o Fundador, neste caso o Padre Kentenich, que têm plena validade para todas as pessoas forjadoras da história e casos preclaros suscitados por Deus como instrumentos e filhos predilectos:

“A experiência secular da Igreja ensina-nos que a íntima adesão espiritual à pessoa do Fundador e a fidelidade à sua missão – uma fidelidade que está sempre de novo atenta aos sinais dos tempos – são fonte de vida abundante para o próprio movimento e para todo o povo de Deus. Por isso, recordo-vos as palavras do meu antecessor Paulo VI às comunidades de vida consagrada: ‘Mantenham a fidelidade com o espírito dos vossos fundadores, as suas intenções evangélicas, e sigam o seu exemplo de santidade… É precisamente aqui que se encontra o seu meio de subsistência, o dinamismo próprio de cada família religiosa’ (Paulo VI; Evangelica Testificativo, 11-12). Vocês foram chamados a ser participantes da graça que recebeu o vosso Fundador e a pô-la à disposição de toda a Igreja. Porque o carisma dos fundadores revela-se como uma experiência do Espírito, que é transmitida aos próprios discípulos para que eles a vivam, aprofundem e desenvolvam constantemente em comunhão e para o bem de toda a Igreja, a qual vive e cresce em virtude da sempre renovada fidelidade ao seu Divino Fundador. Nessa experiência do Espírito que deu origem ao vosso movimento, ocupa um lugar central a Aliança de Amor que o Fundador e a primeira geração selou com a Virgem Santíssima no Santuário de Schoenstatt em 18 de Outubro de 1914.

A vivência fiel e generosa desta Aliança conduzi-los-á a uma plena realização da vossa vocação cristã. (…) O amor a Ela deve conduzi-los a assimilar e a reflectir o seu exemplo de vida na vossa própria vida. Façam vossas as atitudes de Maria; a sua entrega confiante à vontade do Pai, o seu incondicional seguimento a Jesus Cristo, a sua docilidade às insinuações do Espírito Santo, o seu amor serviçal aos homens especialmente aos mais pobres e necessitados – a sua criativa cooperação como colaboradora na redenção do mundo. A oração do vosso Fundador no campo de concentração de Dachau seja sempre a vossa súplica a Maria: “Querida Mãe ensina-nos a caminhar na vida como tu: forte e digna, simples e bondosa, irradiando amor, paz e alegria, Em nós percorre o nosso tempo, prepara-o para Cristo”. Uma autêntica espiritualidade mariana faz crescer um profundo e sólido amor à Igreja”.

Nos últimos anos os Madrugadores através de encontros anuais e nos encontros de delegados de comunidades foram aprofundando a sua identidade, expressa nas características principais e na sua missão, reconhecendo nela o convite que Deus lhes faz a ser fiéis à função e tarefas diárias, na Igreja e na sociedade.

En el XI Encuentro Internacional de Madrugadores

Características principais:

Lugar de graças

Os Madrugadores reúnem-se nos Santuários da Mãe Três Vezes Admirável, ermidas, capelas ou paróquias.

Homens

Os Madrugadores reúnem-se plenamente conscientes do seu ser masculino, o que os une especialmente a Cristo. Em algumas comunidades há vínculos especiais com São José, São Francisco, P. Alberto Hurtado, Mario Hiriart, P. José Kentenich…

Oração

O momento de oração tem características eucarísticas – Liturgia da palavra, Liturgia da comunhão, Adoração ao Santíssimo, Eucaristia – expressão da profunda união a Jesus e à Virgem Santíssima.

Periocidade

Os Madrugadores reúnem-se aos sábados, às 7h00 da manhã, de duas em duas semanas.

Madrugada

“Madrugar” constitui uma característica espiritual do Madrugador. É um homem que olha o amanhã da história e que quer que faça parte da sua própria vida.

Comunidade

O Madrugador gosta da comunidade, nela vive com gosto. A comunidade de corações favorece o seu crescimento espiritual e manifesta-se alegre e fraternalmente na convivência com os seus irmãos.

Originalidades

O Madrugador acolhe os seus irmãos com generosidade e respeita as originalidades de cada um e das comunidades em particular.

Abertura a projectos

As comunidades, segundo a sua originalidade e respeitando as vocações pessoais dos seus participantes, assumem projectos ou tarefas apostólicas, em distintos campos de acção no qual se desenvolve como membro da Igreja e da sociedade.

A Missão do Madrugador

Promover e impulsionar fraternal e alegremente o vínculo com Deus, Cristo e Maria, o fortalecimento e conquista da santidade da vida diária, o empenho apostólico para transformar cristãmente o mundo, como instrumentos marianos, através de encontros de oração masculinos e Eucaristia de madrugada em Santuários, ermidas e igrejas.

Madrugadores en el XI Encuentro Internacional

Para mais informações ou contactos:

www.madrugadores.cl
contacto:[email protected]
tel: 72 – 235665

Maria de Lurdes Dias, Lisboa – Portugal