Pastoral da Esperança

Objetivo

Desde 2005, a chamada “Pastoral da Esperança” (PE) para casais separados e em segunda união se somou a outras iniciativas ao que se chama Pastoral Familiar do Movimento de Schoenstatt do Paraguai. Junto com os cursos para noivos, do serviço “Acompanhamento”, da rede dos Santuários-lares, e outras iniciativas que têm como objetivo primordial “Salvar as famílias, a todo custo!”, como pedia João Paulo II.

A Pastoral da Esperança quer ser uma resposta para a Igreja, que não pode permanecer indiferente às situações dolorosas dos casais separados e em segunda união, para que Maria – como Mãe e Educadora – a partir desse espaço que estão aprendendo a construir, cumpra sua missão de conduzir todos os batizados à salvação.

O objetivo é acolher esses casais a partir da verdade, com respeito e carinho. Acompanhá-los com a esperança, superando o duro impacto de uma separação e ajudá-los a assumir o desafio de construir solidamente as bases de uma nova vida.  Schoenstatt quer mostrar-lhes que eles continuam sendo filhos de Deus, como antes da separação, e que a atitude de filhos que se reconhecem amados os ajudará a experimentar o perdão salvador e lhes abrirá novos caminhos de crescimento espiritual.

História

No final de 2005, Víctor e Stella Domínguez, da Obra das Famílias de Schoenstatt, do Paraguai, então secretários executivos da Conferência Episcopal  do Paraguai, participaram de um encontro do CELAM em Cochabamba, Bolívia, na qual cada país abordou um tema sobre famílias irregulares. Com a mão no pulso do tempo e o ouvido no coração de Deus, eles se perguntaram: se Schoenstatt é para todos, nós também não precisamos tomar alguma iniciativa, a partir da riqueza de nossa espiritualidade, para esses filhos de Deus que se encontram nessa situação? Posteriormente, compartilharam sua inquietação com o Movimento.

Ao mesmo tempo, apresentam-se ao Pe. Antonio Cosp, em Tuparendá, Ypacaraí, no domingo, dia 20 de novembro de 2005, o casal Karen e Bernardino, ex-integrantes da Juventude Feminina e da Juventude Masculina, no tempo de solteiros, agora em segunda união, interessados em levar adiante o apostolado para os casais na mesma condição. O casal Otilia e Federico Acosto, membros do Ramo das Famílias, entrou em contato com eles.

Posteriormente, concretiza-se uma entrevista no Santuário Jovem com o Pe. Antonio Cosp, no dia 25 de novembro de 2005, uma sexta-feira, quando Karen e Bernardino Portillo apresentam a ideia ao Pe. Antonio, que se mostra interessado e propõe apresentar a ideia aos líderes do Movimento. A seguir, realiza-se a reunião com os líderes do Movimento, no Santuário Jovem, no dia 29 de novembro de 2055, uma terça-feira; dessa reunião, participam Pe. Antonio Cosp, Magdi Cosp, Lourdes Ortiz, Ada Centurion, Sonia e Eduardo Morales, Karen e Bernardino Portillo. Definem-se as primeiras bases para a confirmação da Pastoral da Esperança, um serviço para casais em segunda união.

No dia 2 de maio de 2006, o projeto é apresentado para a Obra das Famílias e para a Central de Assessores (Ir. M. Edna e Pe. Antonio) e para o Ramo das Mães (Ir. M. Marta), aos chefes do Ramo das Famílias (Margarita e Alcides González). Na mesma reunião, os assessores e os chefes aprovaram o documento base do projeto apresentado, que configura a Ata de Fundação, e que também é a base para futuros convites a paróquias e movimentos.  Nessa reunião, também os chefes de Ramos comprometeram em ajudar financeiramente para a implantação dessa Pastoral.

Na terça-feira, dia 30 de maio de 2006, às 20h30m, iniciam-se as atividades da Pastoral da Esperança, no Santuário Jovem.

No dia 2 de janeiro de 2007, realiza-se uma importante reunião na Pastoral Familiar Arquidiocesana, da qual participam Pe. Antonio Cosp, Stella e Victor Domínguez, Sonia e Eduardo Morales. É divulgado para a Coordenação da Pastoral Familiar Arquidiocesana que o Movimento de Schoenstatt havia iniciado a Pastoral da Esperança, um serviço para casais em segundo união. A Coordenação apoia a ideia e os integrantes da reunião solicitam que essa nova pastoral seja levada às paróquias, em razão do recente surgimento e da falta de meios para atingir os casais em questão. A Coordenação da Pastoral da Esperança pede aos interessados em levá-la às paróquias que participem de palestras abertas do Movimento, estendendo-se o convite aos decanatos, com o objetivo de difundir a atividades, por meio de cartazes e folhetos. Depois, seriam escolhidos os representantes para acompanhar as reuniões de coordenação da PE, visando conhecer a metodologia e temas enfocados nos encontros.

Atividades

O Movimento de Schoenstatt deseja mostrar a esses irmãos os caminhos para viverem unidos a Cristo, vivendo seu compromisso cristão dentro da Igreja, reconhecendo os direitos e as obrigações que têm, participando das atividades e meios de salvação que a própria Igreja nos oferece, ou reincorporá-los ao seio dela – se talvez tenham se afastado.

Como movimento eclesial, comprometido com a missão de construir famílias à imagem da Família de Nazaré, querem fazer eco ao que nos transmitiu João Paulo II, em sua encíclica “Familiaris Consortio”(no 65): “A solicitude pastoral da Igreja não se limitará somente às famílias cristãs mais próximas; mas, sim, ampliando os próprios horizontes na medida do Coração de Cristo, de se mostrar mais viva ainda até o conjunto das famílias em geral e em particular àquelas que se encontram em situações difíceis ou irregulares. Para todas elas, a Igreja terá palavras de verdade, de bondade, de compreensão, de esperança, de viva participação em suas dificuldades, por vezes dramática; oferecerá a todos sua ajuda desinteressada, a fim de que possam aproximar-se ao modelo da família que o Criador planejou desde o princípio e que Cristo renovou com sua graça redentora”.

Os encontros realizam-se nas primeiras terças-feiras de cada mês, no Santuário Jovem. Os temas apresentados têm relação com o conhecimento de si mesmo, do esposo ou da esposa, relacionamento mútuo e com os filhos, conhecimento do Movimento, parte da Pedagogia do Padre Kentenich.

Além disso, é-lhes oferecida a possibilidade de participar de um retiro anual para ambos, visando o encontro profundo pessoal e como casal, com Deus. Ali, também se tem a oportunidade de conviver com outros casais em igual situação, com suas experiências de vida, por meio de oficinas e dinâmicas.

Participam de algumas atividades que são organizadas no Movimento como Guardas do Santuário, as celebrações do 18 de outubro, círculo vocacional, entre outras atividades pastorais.

A Pastoral não assumirá um papel de mediação ou negociação nos conflitos do casal, nem tem por objetivo ser apenas uma terapia para casais.

No espiritual, momentos centrais da Pastoral da Esperança são a comunhão espiritual, a oração e o encontro com o Deus da infinita misericórdia.

Oração dos divorciados que têm segunda união

Senhor, tu conheces o coração de cada um de nós e conheces as lutas, as provas e as feridas que marcam a vida de muitos casais, entre os quais nos encontramos. Conheces, também, os fracassos do amor. Somente tu podes medir o que há em nós de pecado e o que há também de generosidade e fidelidade. Somente tu podes compreender o caminho que, acima do fracasso, nos levou a encontrar e conhecer um novo amor. Sabemos que temos necessidade de tua misericórdia: quem pode acreditar que não precisa de teus braços protetores? Acreditamos que este amor que hoje vivemos é, em verdade, uma parte, por menor que seja, de teu próprio Amor. Precisamos compartilhar nossa fé com nossos irmãos. Tu, que escutaste a súplica da cananeia, tu que amas sem condições e que nunca voltas atrás. Tu, a quem queremos amar para sempre. Abençoa-nos! Amém.

Comunhão espiritual

Creio, meu Jesus, que estás presente no Santíssimo Sacramento. Amo-te acima de todas as coisas e desejo receber-te em minha alma e, ainda que não possa fazê-lo sacramentalmente, vem ao menos espiritualmente ao meu coração. Como se já tivesse te recebido, abraço-te e me uno a ti. Não permitas, Senhor, que jamais volte a separar-me de ti.  Amém!

Aliança de Amor

Quatro casais, pioneiros da Pastoral da Esperança, que por iniciativa própria formam um grupo chamado “Tembiaporá” – que significa ‘missão a se realizar’ – se prepararam pela equipe para selar a Aliança de Amor com a Mãe de Deus, assim acontecendo em novembro de 2008. “Selar a Aliança de Amor com a Mãe de Deus significa nos entregar a ela exatamente como somos, com nossos limites, erros e imperfeições, para que ela faça de nós seus instrumentos”.  Em janeiro de 2009, forma-se o Grupo Luz no Caminho, com a participação de 8 casais; integra esse grupo um diácono permanente, que participa como observador interessado em aprender a metodologia, para posteriormente aplicar em sua comunidade.

Tarefas e projetos

Entre outras tarefas, a Pastoral da Esperança se propõe a:

  • Consolidar a equipe por meio de reuniões periódicas de formação (a sugestão principal é o estudo das palavras de João Paulo II a esse respeito e de materiais diversos da Igreja sobre o tema; redescobrir a Bíblia e participação na Celebração Eucarística).
  • Manter contato com a Pastoral Familiar Arquidiocesana para conhecer os trabalhos nesse campo, assim como as pastorais de outras paróquias e/ou movimentos que já estão trabalhando nesse sentido.
  • Estar atentos e abertos ao que a vida vai mostrando como caminho nesse tempo, especialmente por meio das primeiras atividades. Trazer mais casais para a Pastoral.
  • Ajudar os casais a manterem-se na fé e na esperança: acolhendo-os com amor, respeito e carinho, como nos pede João Paulo II em seus documentos.
  • Ajudar os casais a reconhecerem seus direitos, limitações e obrigações dentro da Igreja.
  • Realizar encontros, palestras e atividades que ajudem aos casais em segunda união e a seus filhos a crescerem na fé.
  • Trabalhar com fé, amor e esperança no fortalecimento espiritual dos membros da Pastoral, para que, unidos a Cristo, caminhemos todos juntos, rumo à salvação.

Vídeos

ENCARREGADOS

Pe. Antonio J. Cosp – Assessor

Lourdes e Alberto Bogarín. Celular: 0981-972222/0981-410193. [email protected] / [email protected]

Stella e Victor Domínguez. Celular: 0981-443734/ 0981-424234 [email protected]

Karen e Bernardino Portillo. Celular: 0981-922287 / 0981-401061 [email protected] / [email protected]