Colocado em 13. Setembro 2017 In S18 colaboração, sinodo18

Jovem, Francisco quer ouvir-te… Any Bazán, Paraguai

Rumo ao Sínodo da Juventude: “Jovem, Francisco quer ouvir-te” •

Olá a todos! Como estão? Chamo-me Analía Bazán Fernandez, sou da cidade de Pirayú, situada no Departamento de Paraguarí. Corria o ano de 2010 e, com 18 anos de idade participei numa oficina para jovens que se levou a cabo na capela da minha comunidade Costa Jhú que, foi organizada por dirigentes jovens, dessa época, das Missões “Patria Pater” do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Aí, através desses jovens missionários, conheci a Mãe Três Vezes Admirável e, apaixonei-me por Ela. Com eles, tive a experiência de viver as minhas primeiras missões (visitar as famílias acompanhada pela Mãe Peregrina). Lembro-me que no encerramento dessa oficina, os jovens deram-nos o testemunho de como chegaram a ser missionários e entraram no Movimento.

 “Como gostaria de ser missionária…”

Enquanto falavam eu pensava. “Como gostaria de ser missionária…” Era um sonho que tinha em mente desde que fiz a minha Primeira Comunhão: formar o meu próprio grupo juvenil e trabalhar pela minha comunidade. Em realidade, desde pequena sempre estive vinculada à Igreja, fui catequista de jovens, fiz parte da equipa de Liturgia mas, sempre tinha o anseio de ter um grupo de vida, uma comunidade que me ajudasse a crescer na fé, sentia que dava muito mas, não me alimentava a mim mesma.

Dessa vez, os jovens propuseram que em Pirayú se formassem grupos da Juventude Masculina e Feminina que, eles viriam visitar-nos, pelo menos, uma vez por mês. O meu coração explodiu de alegria! Nesse momento via cumprir-se o meu sonho. A partir daí, falei disto a uns amigos que tinham o mesmo anseio e, deste modo, 15 jovens, fomos os primeiros missionários da Rainha. Em Outubro desse mesmo ano, recebemos a nossa Imagem Peregrina e, com isso, passámos a fazer parte da Pastoral Juvenil da Campanha da Mãe Peregrina. Cada um evangelizava com a sua Peregrina, rezávamos o Terço com as famílias. Dois anos depois fiz a minha Aliança de Amor, exactamente em 23/12/2012 no Santuário Nacional de Tuparenda. Fui invadida por uma alegria imensa, finalmente tinha intercambiado corações com Maria. Nesse ano decidi muitas coisas, essa autoeducação que aprendi com o Pe. Kentenich fez-me enxergar para além daquela povoação onde nasci e me criei. Decidi estudar na Universidade Nacional de Asunción no horário da noite enquanto trabalhava de dia.

Foi nesse Retiro que conheci o meu namorado

Mudei-me para Asunción para casa de uns tios. Convenci os meus pais que, certamente, com muita tristeza, me deixaram sair de casa. “Aguentei tudo” vivendo quase de favor. Por essa altura, fiz parte de um grupo de vida no Ramo da Juventude Feminina Universitária de Schoenstatt, do qual, mais tarde, fui a responsável.

No ano de 2014 participei no Retiro Nacional da Pastoral Juvenil que, convoca todos os missionários da Campanha da Mãe Peregrina do país. Fui, em representação do Pirayú e, foi nesse Retiro que conheci o meu namorado, actual noivo e futuro marido. O nosso namoro fortaleceu-se no Movimento e trabalhamos juntos para a Campanha da Mãe Peregrina, em agradecimento a Seu João Pozzobon, porque foi ele quem iniciou este apostolado e, claro, à Mater. No próximo dia 12 de Novembro uniremos as nossas vidas para sempre e formaremos uma família com bases cristãs pela mão de Deus e de Maria.

 

Any Bazán com o seu noivo, Fabián Daniel López Cuevas    

Original: espanhol (27/8/2017). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Todas as contribuições de jovens para o Sínodo

E o teu? Clica aquí, participa no inquérito do Papa e partilha! O Papa quer ouvir-te!

O Papa Francisco quer ouvir- te … e schoenstatt.org também!

Etiquetas: , , , , , ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *