Colocado em 27. Outubro 2017 In Em Aliança solidária com Francisco, Igreja - Francisco - movimentos

Um fogo que pede a transformação: Encontro do Papa Francisco com a Presidência Internacional de Schoenstatt

PAPA FRANCISCO con Schoenstatt, Maria Fischer •

Cedo, no dia 26 de Outubro, 3 anos e um dia depois da Audiência Jubilar na Aula Paulo VI, aquela Audiência na qual o Papa Francisco nos deu a palavra de ordem para o segundo século de Schoenstatt: “Cultura do encontro é cultura de Aliança e, isso gera solidariedade”, abriram-se as portas, da Capela da Casa Santa Marta, aos membros da Presidência Internacional de Schoenstatt, reunida em Roma para a sua Jornada anual. Tiveram o privilégio de participar na Missa matinal do Santo Padre.

“Foi impresionante ver essa mudança em Francisco quando começou a Homilia. Anteriormente, muito tranquilo, desenvolveu um fogo, uma vitalidade impressionante, um falar apaixonado”, comentou o Pe. Egon Zillekens num telefonema a um membro da equipa de schoenstatt.org. Falou de um dos seus temas preferidos – a transformação de vida, a conversão real, a partir do encontro com o fogo de Cristo, o fogo ateado no encontro com Cristo. “As dificuldades na nossa vida não se resolvem aguando a verdade. A verdade é esta, Jesus trouxe fogo e luta, o que eu faço?”O grande: E, agora, o quê?

Depois da Missa, cada um pôde cumprimentar o Santo Padre, começando pelo Pe. Juan Pablo Catoggio – os dois conhecem-se há muitos anos e as fotografias transmitem o fogo do encontro. O Pe. Juan Pablo ofereceu ao Santo Padre um exemplar do “Rumo ao Céu” e um postal com as assinaturas de todos os membros da Presidência.

© Foto L’Osservatore Romano

Um  regalo

O Pe. Egon Zillekens, falando em espanhol com o Papa, ofereceu-lhe a edição alemã do livro que resultou da grande entrevista do Pe. Alexandre Awi sobre o vínculo de Francisco com Maria . “Agora também o tem em alemão”, disse-lhe o Pe. Egon, sabedor de que o Papa já tem o livro em portugués e em espanhol. As fotografías mostram como o Santo Padre está a olhar, com gratidão, para o livro e o está a folhear. Esse momento vale todo o esforço da tradução e distribuição do livro, este tesouro sobre a Aliança de Francisco com a Mãe de todos nós.

Para terminar o breve encontro, foi tirada a foto de grupo que nunca pode faltar.

Um encontro, uma aliança, solidariedade.

 

© Foto L’Osservatore Romano

 

Resumo da Homilia em Santa Marta na Missa de 26 de Outubro de 2017 (Rádio Vaticano)

“Jesus nos chama a mudar de vida, a mudar de rumo, nos chama à conversão”. Isso comporta lutar contra o mal, inclusive no nosso coração, “uma luta que não traz tranquilidade, mas paz”.

Assim disse o Papa Francisco na homilia da missa celebrada na Casa Santa Marta, explicando – inspirado pelo Evangelho do dia – que este é o “fogo” que Jesus lança sobre a terra. Um fogo que requer transformação:

Uma “conversão que envolve tudo, corpo e alma, tudo”, destacou Francisco:

“É uma transformação, mas não é uma transformação que se faz com a maquiagem: é uma transformação que o Espírito Santo faz, dentro. E eu devo ajudar para que o Espírito Santo possa agir e isso significa luta, lutar!”

“Não existem cristãos tranquilos, que não lutam”, acrescentou o Papa, “estes não são cristãos, são ‘mornos’”. A tranquilidade para dormir “pode ser encontrada inclusive numa pastilha”, disse, “mas não existem pastilhas para a paz” interior.

“Somente o Espírito Santo” pode dar “aquela paz da alma que dá a fortaleza aos cristãos. “E nós devemos ajudar o Espirito Santo” – exortou o Papa – “abrindo espaço no nosso coração”: “E nisto, muito nos ajuda o exame de consciência, de todos os dias”, para “lutar contra as doenças do Espírito, aquelas que semeiam o inimigo e que são as doenças da mundanidade”.

“A luta que Jesus travou contra o diabo, contra o mal – recordou o Papa – não é algo antigo, é algo muito moderno, é algo de hoje, de todos os dias”, porque “aquele fogo que Jesus veio nos trazer está no nosso coração”. Por isso devemos deixá-lo entrar, e “perguntar-se todos os dias: como passei da mundanidade, do pecado, à graça, abri espaço para o Espírito Santo para que Ele pudesse agir?”

“As dificuldades na nossa vida não se resolvem aguando a verdade. A verdade é esta, Jesus trouxe fogo e luta, o que eu faço?”

Para a conversão, concluiu Francisco, é preciso “um coração generoso e fiel”: “generosidade, que sempre vem do amor, e fidelidade, fidelidade à Palavra de Deus”.

 

© Foto L’Osservatore Romano

Original: espanhol. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Video (italiano)

As fotos são do Osservatore Romano e sob direitos autorais, com permissão de publicação para schoenstatt.org. Eles não devem ser copiados e publicados em outros meios de comunicação. Se houver interesse na publicação dessas ou outras fotos da reunião, vá para [email protected].

As fotos podem ser encontradas em http://www.photovat.com/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *