Colocado em 13. Setembro 2017 In Francisco - Mensagem, Igreja - Francisco - movimentos

O Papa pede que as Paróquias não sejam “escritórios funcionais” mas lugares “em contacto com as pessoas”

AS INTENÇÕES MENSAIS DO PAPA FRANCISCO, Redacção, com material de AICA •

“Peçamos pelas nossas Paróquias para que não sejam escritórios funcionais mas que, animadas de um espírito missionário, sejam lugares de transmissão da fé e testemunho da caridade”, pede o Papa Francisco a todos os cristãos do mundo e, explica:

As Paróquias têm que estar em contacto com os lares, com a vida das pessoas, com a vida do povo. Têm que ser casas em que a porta esteja sempre aberta para sair para os outros. E, é importante que a saída siga uma clara proposta de fé. Trata-se de abrir as portas e deixar que Jesus saia para fora com toda a alegria da Sua mensagem. Peçamos pelas nossas Paróquias para que não sejam escritórios funcionais mas que, animadas de um espírito missionário, sejam lugares de transmissão da fé e testemunho da caridade”.

A peça audiovisual que, como todos os meses, está publicada em schoenstatt.org, mostra uma comunidade paroquial “em saída” que, a seguir a um encontro com Jesus se mobiliza para agir pelas “lágrimas da terra e as lágrimas dos pobres”, como está na Exortação Apostólica “Laudato Si’ sobre o cuidado da Criação.

 

Assim é a nossa Paróquia

“Que lindo é este pedido”, diz uma senhora, muito activa na sua Paróquia, numa cidade na zona metropolitana de Colónia. “Assim é a nossa Paróquia, assim é o nosso Pároco que, está sempre em saída à procura dos jovens, dos migrantes que vêm para a nossa cidade e que, abre a Paróquia a todos…”

“Lembro-me da Procissão do Corpo de Deus numa cidade vizinha”, conta uma colaboradora de schoenstatt.org. “Saímos de uma Ermida no campo, na propriedade de uma família. Houve copos de água antes de sairmos, houve encontros e conversas, uma Missa ao ar livre e um Pároco que, em plena Homilia, sugeriu procurarmos um espaço à sombra para prosseguirmos e, não nos queimarmos sob o sol muito forte para o que é habitual na Alemanha. Depois, fomos caminhando, com o Santíssimo no meio de nós, de Ermida em Ermida, de Cruzeiro em Cruzeiro, entre orações e cânticos. Havia muitas famílias com carrinhos de bebé, jovens de bicicleta, pessoas com roupa desportiva, alguns partilhando água com os outros. Nos caminhos pelos campos, também houve conversas e saudações aos que cruzávamos no caminho ou estavam à frente das suas casas. Este não é o estilo muito formal que conheci e, de repente, pensei: estamos realmente a acompanhar Jesus peregrinando pela nossa cidade. Assim, deve ter sido, naquele tempo, na Galileia, quando Jesus caminhava com os discípulos. Não rezaram com um livro mas, partilharam a sua vida e a sua fé… Esta Procissão do Corpo de Deus foi uma festa. Foi um Corpo de Deus que nunca esquecerei”.

Uma Igreja com as portas fechadas trai-Se a Si mesma e à Sua missão

Desde os inícios do seu Pontificado, o Papa Francisco pronunciou-se, enfaticamente, sobre o papel das Paróquias na vida em comunidade. Já no Sínodo da Família do ano 2015, expressava que “uma Igreja com as portas fechadas trai-Se a Si mesma e à Sua missão e, em vez de ser ponte, converte-se em barreira”.

Segundo os dados coligidos do Anuário Pontifício, há mais de 221.000 Paróquias para viver a vida em comunidade, onde os fiéis se podem reunir para a expressão da vida litúrgica, o ensino da vida de Cristo e a prática das boas obras fraternas.

“Este mês quisemos expressar profundamente o valor das Paróquias para a missão, em particular com os mais necessitados. É um lugar de encontro com Jesus Cristo Ressuscitado, o qual nos chama ao serviço da Sua missão. A Paróquia pode ser fonte de dinamismo missionário que leve sal e luz ao mundo. O Evangelho nasceu pelos caminhos, ao encontro dos outros. Não podemos estar à espera das pessoas nas nossas Paróquias. Esta dinâmica de missão é essencial”, salientou o Pe. Frédéric Fornos SJ, director internacional da Rede Mundial de Oração do Papa e do Movimento Eucarístico Juvenil (MEJ), nomeado pelo Papa Francisco.

As intenções de oração são entregues mensalmente à Rede Mundial de Oração do Papa. O Vídeo do Papa é produzido por La Machi Comunicação para as Boas Causas, com o apoio da Companhia de Jesus, IndigoMusic, GettyImagesLatam e a colaboração do Centro de Televisão Vaticano. Desde o seu lançamento em Janeiro de 2016, teve mais de 18 milhões de visualizações nas suas redes próprias.

 

Onde se pode ver o vídeo?

Site oficial do Vídeo do Papa

Canal de YouTube do Vídeo do Papa

Página de Facebook do Vídeo do Papa

Original: espanhol (6/9/2017). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *