Colocado em 13. Fevereiro 2018 In Artigos de Opinião

Chiara Lubich: amar com os factos

Movimento dos Foccolares •

No décimo aniversário da morte da fundadora dos Foccolares (2008-2018), as comunidades do Movimento evidenciam a dimensão social do carisma da unidade.

Então, deste modo: amar com as obras e dar uma mão a algumas delas.

“Façamos nosso, o lema “amar com factos” (1 Jo 3,18). Jesus quer que vivamos assim, Ele quer uma caridade para com o próximo que seja serviço concreto. Ele mesmo Se fez nosso modelo quando lavou os pés dos discípulos.
Amar com obras concretas. É possível viver assim o dia inteiro […]: um gesto concreto em favor de um irmão, um outro acto de amor para com outro irmão, e assim por diante […]. No fim da vida, por todos esses gestos concretos, Jesus nos dará um prémio proporcional. Se um, apenas um copo-d’água a Ele oferecido no irmão, não ficará sem recompensa (cf. Mt 10,42), o que acontecerá com  muitos copos d’água? […]

Impressionou-me saber […] (que no nosso Movimento), se promoveram, espontaneamente em todo o mundo, sob a responsabilidade dos membros da Obra, cerca de duzentas atividades ou trabalhos em favor dos irmãos que se encontram nas mais diversas necessidades: obras de caridade, para doentes, idosos, desempregados, deficientes; são centros em favor da vida, que acolhem pessoas abandonadas, solitárias, acolhem grupos de estudantes estrangeiros ou desenvolvem trabalhos em favor das crianças abandonadas, dos sem-abrigo, dos encarcerados, dos toxicodependentes ou alcoólicos. São cursos de promoção humana e de catecismo, são iniciativas no campo da economia, do trabalho, da educação. São obras em prol de todas as necessidades dos países em via de desenvolvimento ou atingidos por calamidades naturais…E louvei a Deus porque, desde os primeiros anos do Movimento, as assim chamadas “obras de misericórdia”, foram para nós, como nos sugeria o Evangelho, condição imprescindível para um bom “exame final” e, portanto, para uma boa conclusão da Santa Viagem da vida.

Com esta mensagem, quero sugerir que vocês levem em consideração, ao menos, uma dessas obras e que a tenham no coração de uma maneira especial. Interessem -se por ela, deem a vossa ajuda para que se desenvolva, procurem incrementá-la com os meios disponíveis, sintam-se corresponsáveis por essa atividade.

[…]  Olhemos ao nosso redor! Existirão actividades e acções concretas suscitadas pelos Movimentos: “Humanidade Nova“, “Famílias Novas”, “Jovens por um mundo Unido”, “Movimento Juvenil pela Unidade”,  “Movimento Paroquial”, tanto na vossa região como noutras. Vejam como entrar em contacto com essas atividades, talvez consultando os seus responsáveis. Aproximem-se delas com delicadeza, sem atrapalhar, mas apenas com o desejo de servir, ao menos com as vossas orações, se não for possível de outra maneira.

[…] Compreendemos, então, o que fazer: amar com as obras e colaborar nas actividades já existentes. De forma que, por nosso amor concreto e também por estas obras específicas, o Senhor possa repetir, referindo-se a cada um de nós: “Eis que eu venho em breve e trago comigo o salário para retribuir a cada um conforme o seu trabalho” (Ap 22,12)».

Chiara Lubich, Rocca di Papa, 12 de maio de 1988

De CHIARA LUBICH – Buscar as coisas do alto – Cidade Nova 1993 – págs 95-96-97-98

Fonte: www.focolare.org

Donativos também são “amar com as obras”: http://www.schoenstatt.pro/

Coordenação da tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

A colaboração efetiva na criação de uma nova ordem social e de uma cultura inspirada pela Aliança.

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *