Colocado em 16. Junho 2017 In Artigos de Opinião, Casa Mãe de Tuparendá

Feliz dia, papás!

PARAGUAI, Pe. Pedro Kühlcke •

O Dia do Pai no Paraguai celebra-se todos os anos no terceiro Domingo do mês de Junho. Não é, apenas, uma homenagem pensada para o pai biológico mas também, para todas aquelas pessoas que são uma figura paterna. Por ocasião do Dia do Pai, o Pe. Pedro Kühlcke dedicou um artigo na Revista Tupãrenda a…não, não directamente aos pais mas ao Pepito. Pepito? Sim, Pepito, o seu amigo Pepito, o da prisão de menores…Este Pepito durante toda a sua vida à procura de um pai.

 

Os benefícios nada benéficos para o Pepito

O outro dia, o Pepito disse-me que antes de entrar na prisão, trabalhava “nos bosques”. Olhei-o com estranheza, porque não percebia a que se referia. Então, contou-me que, lá para as bandas leste do país, escondidas entre os bosques, há muitas plantações ilegais de marijuana. Lá oferecem um trabalho muito atractivo para jovens pobres, sem educação, sem perspectivas de futuro, sem pais que lhes deem o exemplo de honestidade e de princípios claros. Pagavam-lhe 100.000 guaranis por dia e, além disso, ofereciam “comida, cerveja, cigarros, marijuana, raparigas…” tudo gratuito. Recentemente começou a pensar que todo esse dinheiro fácil e benefícios gratuitos não foram, realmente, nada benéficos para a sua vida. Mas, a única alternativa que via era continuar no Kokue (pequena quinta familiar) miserável, plantar mandioca e ver que todos os seus amigos ganhavam muito mais dinheiro que ele…

Fiquei triste e preocupado depois desta conversa. Será que não há outras alternativas? Por um lado, uma sociedade que não oferece oportunidades mas sim, muitas tentações; por outro, uma família disfuncional, sem um pai que anime o filho a fazer frente às tentações, a superar adversidades e a lutar para crescer e se formar profissionalmente. Como não iria cair o Pepito?

 

A dupla tarefa de um bom pai

O meu próprio pai que não é um homem muito religioso, por assim dizer, tem um princípio muito claro que sempre me ficou gravado: “Quero agir em cada dia de tal maneira que, na manhã seguinte, ao fazer a barba possa olhar-me no espelho sem sentir vergonha de mim próprio”. O Pe. Kentenich dizia aos jovens na Acta de Pré-Fundação (18): “Devemos aprender a agir guiados por princípios sólidos e claramente conhecidos. Pode acontecer que tudo vacile em nós. Virão, com certeza, tempos em que tudo vacila em nós. Então, nem sequer as práticas religiosas nos ajudarão. Só uma coisa nos pode ajudar: a solidez dos nossos princípios. Temos que ser personalidades rectas!”

Creio que um bom pai tem uma dupla tarefa. Em primeiro lugar tem que fazer sentir aos filhos que os ama, os valoriza, os estimula, gosta deles sem distinções nem preferências. Mas também, os tem que educar com “firmeza e ternura”, estabelecer-lhes limites claros e justos, desafiá-los a superarem-se e a voarem alto, inculcar-lhes essa rectidão, esses “princípios firmes” que um dia lhes permitam fazer frente a todas as tentações que o mundo de hoje nos serve numa bandeja de prata.

Muitos “Pepitos” lutam hoje para um dia serem esses pais que nunca tiveram

Posso dizer com alegria que na “Casa Mãe de Tupãrenda” (CMT) já temos muitos “Pepitos” que querem deixar para trás essas tentações e lutam para chegar a ser um dia os excelentes pais que, muitos deles, nunca tiveram.

Felicidades e bênçãos para todos os Pais com maiúscula que são exemplos para os filhos!

Fotografias: Os jovens da Casa Mãe de Tupãrenda celebrando o aniversário do Pe. Pedro Kühlcke. Um pai para eles.


Obrigada por tudo, Padre Pedro, já tenho uma nova vida graças a si

Original: espanhol (4/6/2017). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *